Cervejaria do Bairro – Sabor a Mar no Bairro Alto

Cervejaria do BairroReportagem de Tânia Fernandes e António Silva

Marisco fresco, cerveja no ponto e um prego suculento são os desejos que nos conduzem às grandes e animadas cervejarias da capital. A abertura, este ano, de um novo espaço no coração do Bairro Alto (onde antes esteve um famoso “quarto”), faz com que seja possível satisfazer estes caprichos num ambiente moderno, descontraído e tranquilo. A Cervejaria do Bairro, na Rua do Norte é um oásis para quem gosta de saborear marisco sem a habitual confusão característica destes espaços. Luz q.b., mobiliário de design simples, moderno mas com gosto e um espaço limpo convidam a passar a porta e abrir a carta carregada de bons petiscos.

As taças de alumínio, pousadas na bancada de gelo, no meio do restaurante falam mais alto do que a própria ementa. É a zona mais iluminada de todo o espaço e as cores vivas comunicam diretamente com o nosso cérebro: camarões, sapateiras, ostras, percebes, amêijoas, lingueirão, entre outros, tudo fresco, pronto a chegar ao prato da forma que se quiser.
De entradas, provámos os deliciosos croquetes da casa, os ovos de cabra (trocadilho com a cor, não é para levar à letra) e o ceviche de corvina. Mas há outras opções como o presunto pata negra, salada de grão, salada de polvo ou a espetada de tataki de atum.
Partilhar aqui é uma opção válida, que permite viajar pela carta. A mariscada, para duas pessoas, é composta por percebes do Cabo da Roca, as ostras do Sado e o camarão de Moçambique. Fresquíssimos, com o genuíno sabor do mar e na dose q.b.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Fechámos com pregos (um de atum o outro do lombo), deliciosos e suculentos, acompanhados de batata frita fininha, daquela tão saborosa que nos leva a ver o fundo do balde. A refeição foi acompanhada pelo vinho da casa, o branco São Lourenço do Barrocal, a defender muito bem os pratos que nos chegaram.

São raras as vezes que declinamos a sobremesa, mas desta vez não havia mesmo espaço para provar o pudim. Fica para a próxima vez que viermos mergulhar com as amêijoas à Bulhão Pato!

O projeto é de Duarte Uva, dono dos restaurantes Esperança e desde miúdo ligado ao mar. Fez caça submarina e tem por isso um grau de exigência elevado em relação ao que é pescado e vem para o prato. A qualidade do serviço e da comida é óptima, os preços são muito razoáveis. As mesas, para quem pretende socializar em grupo ocupam a maior parte do espaço. Para os solitários, ou mesmo duas pessoas que pretendam uma refeição mais ligeira há um balcão junto ao bar que funciona também como ponto de encontro entre os habitués do bairro.

A Cervejaria do Bairro fica no nº 86 da Rua do Norte, em Lisboa. Abre para almoço às sextas-feiras e sábados, entre as 13h00 e as 16h00, para jantar abre sempre entre as 19h30 e as 01h00, às sextas-feiras e sábados o horário estende-se até às 01h30. Encerra às terças-feiras.

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.