Celebrar O Amor No Dining Delight No Palácio De Seteais Em Sintra

Reportagem de Tânia Fernandes e António Silva

O requinte e a envolvência da arquitetura do séc. XVIII são o cenário perfeito para um encontro romântico. O Tivoli Palácio de Seteais preparou um programa exclusivo para fazer a dois: Dining Delight.

Há ocasiões que merecem um atenção cuidada. Já imaginou o impacto de um pedido especial, ou uma celebração a dois, num palácio, rodeado de pinturas, tapeçarias e frescos de grande riqueza e beleza?

O Dining Delight consiste num jantar especial, feito a partir de uma ementa única. O menu de degustação é da autoria do Chefe António Escudeiro e dá a opção de escolha entre dois pratos. A harmonização de vinhos foi feita pelo enólogo Aníbal Coutinho. O jantar pode ter lugar numa das salas do palácio, ou numa pérgola, junto à piscina. Sempre a dois e com toda a intimidade e privacidade que a ocasião exige. Qualquer que seja a escolha, a garantia é de que o cenário será idílico e o momento único.

tivoli-seteais-01

O início de novembro, ainda que com temperatura amena, pede o conforto do espaço interior. Foi no Salão Nobre que fomos recebidos, com todo o requinte, pelo mordomo de serviço. Trajado à época, Telmo conduziu-nos à mesa principescamente posta, frente a uma grande janela, com vista sobre a paisagem de Sintra. Foi sempre ele que nos serviu, ao longo da refeição, com o cuidado de quem está na sombra, mas atencioso e disponível para nos esclarecer dúvidas.

Abrimos a refeição com um brinde de Champanhe Moet & Chandon, a admirar os belos frescos pintados por Jean Baptiste Pillement. O silencio dá lugar às doces notas musicais que saem do violino de Natalia Juskiewicz. Também ela, trajada à época, marca presença nos intervalos entre pratos e apresenta um reportório variado, desde os clássicos, a musicais, com passagem pelo fado português. Natalia é polaca, encontra-se há alguns anos em Portugal e tem um projeto que merece atenção: “Um Violino no Fado”.

Camarão grelhado sobre guacamole, mini salada caprese e presunto pata negra com melão constituem o nosso Hors-D’oeuvres. Um delicado aperitivo, com excelentes combinações. A alternativa seria Foie gras com chutney de frutos secos, salmão fumado, chevre gratinado com rúcula champanhe.

Passámos depois à entrada de Ostras do Algarve gratinadas com alho francês e molho caviar (em alternativa o menu oferece Mil Folhas de Lagosta com espargos verdes e mousse de Rábano).

Lá fora ouvem-se as gotas a cair. O tempo passa de cinzento a chuvoso e chegam-se a ouvir trovões, acompanhados de relâmpagos. A verdade é que torna a experiência ainda mais romântica, se bem que foi a natureza que aqui teve o condão de nos agraciar com esta subtileza.

De prato de peixe, optámos por Robalo sobre algas kombu e hiyashi wakame com legumes e puré de batata Joel Robuchon. Peixe fresco, consistente, tudo servido na bela loiça Vista Alegre, pintada à mão. Um regalo para a vista e para o estomago. Acompanhamos com vinho branco Planalto Reserva. Em alternativa, a este prato de peixe tínhamos Tranche de garoupa e espinafres frescos com massa folhada, beurre blanc de champagne.

O Filet de novilho sobre risotto de legumes e morilles salteados revelou-se uma excelente escolha. Bem confecionado, suculento e carregado de sabor. Voltámos ao Douro, no acompanhamento, com o tinto Vallado. Magret de pato de seu foie com redução de Porto sobre tarte de maçã verde era o prato alternativo.

A chuva parou e o nosso empregado pede licença para abrir a janela. As portas altas abrem-se, deixam entrar a frescura de Sintra e permitem que admiremos as luzes, no horizonte. A vista é linda, o espaço magnifico e faltam-nos adjetivos para descrever a experiência. A escadaria em frente desce direta ao jardim. O apelo é mesmo para ficar dentro, mas admirar a linha do horizonte, que se constrói atrás do nosso candelabro e arranjo de flores.

Chegou a hora da sobremesa e tentamos arranjar espaço para arrumar os doces. Percebemos que há sempre lugar para este Recheio de queijada de Sintra com gelado de framboesa e ravioli de mel. O Porto Graham’s Tawny é uma combinação excelente. Pode-se também optar por Fondue de frutas tropicais com suspiro de canela.

O Chefe Miguel Silva, que transitou recentemente do Tivoli Lisboa, vem-nos cumprimentar no final da refeição e a quem não podemos deixar de dar os parabéns. Ainda que o espaço e a envolvente sejam únicos é impossível sustentar esta experiência sem uma boa mão na cozinha. Daquilo que nos foi dado a provar, acreditamos que irá selar a memória de muitos pedidos de compromisso de forma bastante positiva.

As experiências mais marcantes são as que nos surpreendem, geram emoção e para isso é necessário ter em atenção pequenos detalhes. O esmero do serviço deste hotel garante que a sua passagem pelo Palácio de Seteias seja sentida como um privilégio único.
O Dining Delight encontra-se disponível a partir de 500 euros.

O menu inclui o amuse bouche, a entrada, dois pratos principais, sobremesa, digestivo e as bebidas (champagne e vinhos à refeição). O acompanhamento de música, com opção de harpista ou violinista, bem como o empregado trajado à época são serviços complementares.

As reservas e informações podem ser obtidas junto do seguinte e-mail: experience.seteais@tivolihotels.com .

Dining Delight

Leave a Reply

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.