Cascais Groove Arrancou Com Rui Veloso Num Ambiente Intimista E Para Fãs

Reportagem de Elsa Furtado e Francisco Padrão Mota

“Este não é um festival para massas, além do mais porque o espaço não o permite, segundo fontes da produção a capacidade do recinto é para 1000 pessoas, é um festival para famílias, com muitas atividades, boa música, uma localização privilegiada e amigo do ambiente”.

Assim se pode descrever o Cascais Groove, que arrancou hoje no Parque Palmela, num ambiente tranquilo e agradável, ao som de música portuguesa, e que se vai prolongar até domingo.

groove_cascais_dia1_2016-012

Com uma programação para o dia e outra para a noite, este primeiro dia começou só pelas 19h00, e a música era a atracção principal.

Rui Veloso foi o senhor que abriu as hostes, nome anunciado à última hora para substituir a brasileira Maria Rita que está doente, não se rogou ao convite, mesmo tendo presença marcada na 5ª Edição do BB Blues Fest na Baixa da Banheira, como o próprio músico fez questão de referir.

O desafio feito ao músico, foi o mesmo a todos que vão passar por Cascais nos próximos dias, “Um concerto diferente, original” e Rui Veloso cumpriu. Para um Parque não muito cheio, mas com um público que conhecia e sabia ao que vinha, Rui Veloso apresentou alguns dos seus temas mais conhecidos, mas não só, ao longo de quase de hora e meia.

“A Ilha”, “Ai Quem Me Dera A Mim Rolar…”, “Todo o Tempo do Mundo”, “Porto Côvo”, “Sei de Uma Camponesa”, “Fado do Ladrão Enamorado”, “Porto Sentido”, “Primeiro Beijo”, “Romeu e Juliana”, “Nunca Me Esqueci de Ti”, o incontornável “Chico Fininho” e “Lado Lunar”, foram alguns dos temas, numa versão mais suave e intimista e que tiveram direito a acompanhamento por parte do público, afinal este ano o artista completa 36 anos de carreira, e as suas músicas já fazem parte das nossas vidas.

Eram 23h45 quando os jovens Black Mamba apareceram em palco para um concerto muito animado, cheio de batida e ritmo. Com temas em inglês e outros em português, a banda de Pedro Tatanka, Ciro Cruz e Miguel Casais conseguiu animar e motivar o público presente.

“Dirthy Little Brother”, “Sweet Lies”, “Yester Lovers”, “Canção de Mim Mesmo”, “Save My Day”, “Wonder Why” e “Wild”, foram alguns dos temas apresentados nesta primeira noite de festival.

Com temperatura agradável, o recinto meio preenchido (embora houvesse informação que os bilhetes para este primeiro dia tinham esgotado, tal como para domingo), e fácil de circular, o Groove promete conquistar pela diferença e pelo ambiente.

A oferta gastronómica existente não é muita, e aposta em produtos orgânicos e pratos vegetarianos, há zonas para descansar e apreciar a envolvência, e ainda um castelo muito especial, que promete fazer as delícias dos mais pequenos, durante o dia de sábado e domingo.

Depois de um dia repleto de atividades, sobem ao palco logo à noite Sérgio Godinho com Jorge Palma e a cabo-verdiana Mayra Andrade, para dois concertos que prometem ser originais.

A encerrar no domingo, vão estar Jamie Cullum e Miguel Araújo, que promete trazer dois convidados surpresa.

Ainda estão à venda bilhetes para hoje – sábado, e custam 45 euros. Os bilhetes apenas para durante o dia (sábado e domingo) custam 7 euros e podem ser adquiridos no local.

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.