Casa Grande: Quem Quer Um Chocolate?

A Casa Grande, fábrica de chocolates em Ribeirão, Vila Nova de Famalicão, abre as portas das suas instalações para que o cliente possa ver, fazer e provar um chocolate único, Grande no nome, Delicioso na boca. O C&H acompanhou uma visita guiada à fábrica e à loja Casa Grande e contamos-lhe tudo. Mais do que palavras, processos produtivos, receitas ou ingredientes, deixamos o convite para que visite a fábrica e, durante a visita guiada, mergulhe no aroma e no sabor mágicos do chocolate.

A visita começa com uma pergunta, quase de retórica: “Quem quer um chocolate?” e, se dúvidas existissem, as caixas vazias rapidamente as dissiparam. Um “adoçar” de boca, a que se segue uma breve introdução ao mundo chocolateiro, com favas de cacau, manteiga de cacau, açúcar e leite em pó. Com cerca de 4 mil anos de história, iniciamos viagem no México, ainda com as civilizações Incas e Maias a usarem a planta como moeda de troca, passamos da bebida às tabletes e aos bombons e agitamos o cacau como maracas.

Abrem-se as portas para a produção e, não há retorno, invadidos pelo intenso e maravilhoso cheiro do chocolate, passamos para um ambiente de 40 graus, onde se misturam as matérias-primas. Poderia até explicar (ou tentar explicar) o processo de produção, mas entre pais natais de chocolate gigantes, rosquinhas, bombons e coroas de chocolate, confesso que me perdi. Sei que há uma fase de tempero e que o chocolate deve repousar durante 24 horas antes de ser embalado; que a mistura dos ingredientes, em ambiente muito quente, varia entre as 12 e as 24 horas; que as frutas secas revestidas de chocolate passam por um túnel frio, durante 7 minutos; que os moldes recheados de chocolate vão para as arcas solidificar e que o chocolate Casa Grande derrete na boca e aquece corações.

Uma produção artesanal e outra industrial que não se limitam a moldar chocolate, já que a produção assenta na pasta de cacau. Sem óleo de palma ou aromas artificiais, a Casa Grande utiliza manteiga de cacau e outros ingredientes para fazer o chocolate.
Depois de misturado, a mestre chocolateira tempera (arrefece) o chocolate, um processo que também pode ser feito através de máquinas, e dá-lhe forma: tabletes de chocolate branco, preto ou de leite, bombons coloridos, frutas recheadas…

A visita termina com um workshop de como fazer chocolate e “obriga” os participantes a “por a mão” literalmente, na massa e nos recheios para criar um chupa-chupa de chocolate único. Cada participante levará, no fim da visita, o seu chupa-chupa de chocolate Casa Grande.

A marca tem à venda na loja da fábrica, os chocolates que produz, a um preço especial. A Casa Grande tem ainda um “corner” nos aeroportos do Porto, Lisboa, Madeira e Faro e Coffee Chocs, nas lojas fnac, no Coimbra Fórum e no Norte Shopping. Pode encontrar a marca Casa Grande em algumas lojas gourmet, como Portela Cafés, Apolónia e lojas Paupério. O objetivo é expandir, não só os pontos de venda, como a produção. Ainda a tentar firmar-se no mercado, depois de ter sido adquirida pelo grupo Onebiz, a Casa Grande prepara-se para lançar, em breve, “carrés” de provas e, em janeiro de 2019, uma nova marca, a Not Guilty.

E, enquanto se aguarda a expansão da marca, a fábrica convida apreciadores e curiosos a entrar no mundo mágico da produção do chocolate (vi por lá uma torneira de onde jorra chocolate!). As visitas guiadas requerem marcação prévia.

Para saber mais sobre a Casa Grande visite a página.

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.