Caparica Primavera Surf Fest Arranca Com Casa Cheia

Reportagem de Tânia Fernandes e António Silva

Diogo Piçarra no Caparica Primavera Surf Fest

Esta quinta-feira, o Caparica Primavera  Surf Fest abriu a temporada de festivais com lotação esgotada. Um alinhamento feito de novos talentos: Slow J, April Ivy e Diogo Piçarra reuniram o consenso do público deste festival. Os jovens compareceram em peso, para celebrar o início das férias escolares da Páscoa, ao som dos nomes que admiram.

Slow J, um dos artistas emergentes do hip hop nacional, surpreendeu com a sua presença. Este jovem, natural de Setúbal, mostrou-se especialmente sensibilizado pelo facto de estar a atuar, pela primeira vez, na margem sul. Com álbum editado recentemente, The Art of Slowing Down, Slow J trouxe os novos temas à Caparica. E apesar de estar perante um público pouco conhecedor do seu trabalho, a verdade é que contagiou com o seu ritmo e com a determinação das palavras que canta. Fado, rock, semba, jazz, reggae… são muitos os ritmos que se cruzam com o hip hop.

Arrancou com um som duro e continuou para um tom mais tropical de “Casa”. “Sonhei para dentro”, “Às vezes”, “Serenata” ou “Tinta da raiz” foram alguns dos temas tocados. O recinto, em modo de anfiteatro, permite boa visibilidade para o palco e também uma certa proximidade entre o artista e o público “Tantas caras conhecidas!” reconhece Slow J. Em palco, é acompanhado de Francis Dale e Fred Ferreira, dois ases em matéria de criação de boa sonoridade. Trouxe ainda uma música que lhe é especial, “sobre o rio que passa na minha cidade, o Sado”.
Para o fim, deixou um coro contagiante, de boa energia “não quero uma boa vida, eu quero uma vida boa” foi o recado que deixou com “Vida boa”.

A faixa etária desce ainda alguns degraus para a artista seguinte: April Ivy, tem feito eco da sua música pop além fronteiras. É uma das artistas nacionais a fazer parte do catálogo francês da editora Universal. Recebeu, recentemente, o prémio revelação da rádio Nova Era.
Canta em língua inglesa e percebe-se que hits como “Shut Up” ou “Be ok” são bem conhecidos do público que assiste. Os presentes cantam, dançam e aplaudem a artista. O concerto continuou em modo de dj set, com versões de outros artistas (Dj Snake e Ed Sheeran) a tornar o ambiente ainda mais festivo. Na reta final, April Ivy deixa de lado a eletro pop para mostrar o seu lado mais emocional, com temas mais intimistas. Termina com uma das canções que faz parte da banda sonora de uma telenovela: “Unstoppable”.

O artista mais esperado da noite era Diogo Piçarra e tem por isso, sem grande espanto, uma entrada triunfal em palco. Há uma tela semi transparente que oculta a banda, onde vão sendo projetadas imagens de vídeo. O concerto traz os seus grandes êxitos, mas essencialmente a apresentação do mais recente trabalho: Do=s.
Foi precisamente com “Do=s” que se deixou ver na frente de palco, para depois voltar a um tema mais antigo “Já não Falamos”. Aproveitando a coincidência de presenças na mesma data do festival, Diogo Piçarra e April Ivy cantam em dueto “Não sou eu”. Para o final do concerto deixou “Wall of Love”, “Tu e Eu” e “Dialeto”.
A noite seguiu com a batida de Dj Pedro Walter.


O Caparica Primavera Surf Fest vai continuar a dar música, mas também muitas atividades desportivas, na Praia do Paraíso, até dia 15 de abril. O acesso aos concertos requer aquisição de bilhete, à venda nos locais habituais. O bilhete diário custa 10 euros (8 euros para estudantes) e o passe 30 euros (25 euros com desconto). Todos os eventos desportivos são gratuitos.

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.