Câmara de Lisboa assinalou 25 anos do incêndio do Chiado com simulacro de incêndio

 Reportagem de Alexandra Gil

chiado_11A 25 de agosto de 1988, Lisboa acordou em sobressalto. Um incêndio consumia o Chiado. Vinte e cinco anos mais tarde, a autarquia assinalou este dia, que ficará para sempre na história da cidade com uma série de iniciativas, entre as quais exposições e um simulacro.

O domingo começou cedo, logo pelas 8 da manhã, com a mostra de seis fotografias (em formato pendão) do livro O Grande Incêndio do Chiado, da autoria dos fotógrafos Alfredo Cunha, Fernando Ricardo, José Carlos Pratas Henriques e Rui Ochoa e que foi lançado durante a tarde na FNAC dos Armazéns do Chiado. Uma hora mais tarde, na antiga escola Veiga Beirão – transformada em posto de comando – arrancava o simulacro de incêndio que, para além de evocar os acontecimentos de 1988 teve como finalidade testar os meios de prevenção e combate, hoje bem diferentes dos que existiam no final da década de 1980.

Mais de 320 operacionais, 80 viaturas e algumas dezenas de figurantes tornaram posição o simulacro, que decorreu até às 10h30 em artérias como a Rua Garrett, o Rossio ou a Praça do Município. Apesar do acesso se encontrar cortado, alguns foram os curiosos que afluíram à zona da Baixa para recordarem o fatídico 25 de agosto de 1988.

A manhã prosseguiu com a atuação da banda do Regimento de Sapadores Bombeiros, corporação co-responsável pelo simulacro e com o descerrar de uma lápide evocativa do incêndio. Pelas 17h00, Siza Vieira – arquiteto responsável pelo projeto de reabilitação do Chiado – visitou os Terraços do Carmo, espaço que será objeto da última intervenção prevista no Plano de Pormenor da Recuperação da Zona Sinistrada do Chiado. O dia terminou com o lançamento do livro Chiado em Detalhe, em que Siza Vieira apresenta a pormenorização técnica do plano de recuperação, e com a inauguração da exposição com o mesmo nome, na galeria Chiado 8.

Já hoje, segunda-feira, é inaugurada no Museu do Regimento de Sapadores Bombeiros de Lisboa, em Carnide, a exposição O Grande Incêndio do Chiado. Esta apresenta fotografias do livro homónimo de Alfredo Cunha, Fernando Ricardo, José Carlos Pratas Henriques e Rui Ochoa.

 

Leave a Reply

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.