Brunch Saudável Na Cafetaria Spleen No Chiado

Reportagem de Tânia Fernandes e António Silva

Pratos de cozinha saudável, com uma boa variedade de opções sem glúten, lactose ou açúcar compõe a mesa do Brunch na Cafeteria Spleen, no Chiado. O espaço, integrado no Museu Nacional de Arte Contemporânea, ao Chiado em Lisboa, é generoso em luz (acolhedor no interior, durante o inverno) e com uma boa esplanada para usufruir dos raios de sol, quando o tempo o permite.

Elisa Braga, foi a Chefe de cozinha que construiu a ementa do brunch da Cafetaria Spleen. Ela própria, refém de restrições alimentares, preocupou-se em criar uma variedade de pratos que permitisse, a quem não pode consumir glúten ou lactose, fazer aqui uma refeição equilibrada e saborosa. Substituiu ingredientes e garante que os pratos não ficam prejudicados com as alterações. A qualidade dos produtos e uma combinação criativa conduziram a propostas originais, que podem agora ser saboreadas ao fim de semana.

Começando pela refeição mais leve: há sempre três variedades de pães diferentes. Encontrámos Mafra, Rio Maior e Centeio. E croissants. Esses são os únicos produtos que vêm de fora, assegurou-nos Elisa Braga. “O resto é tudo feito aqui!”. Neste patamar, as compotas e queijos são as combinações mais óbvias.

Na secção de opções vegetarianas encontrámos Húmus, Tapenade e variadas saladas. Algumas mais originais, como o Caril de grão e feijão branco ou a Salada de Couve com legumes e hoisin, um tempero chinês que lhe dá um sabor exótico. Quinoa, Couscous e Couve com feijão vermelho eram outras opções. Ainda nas opções vegetarianas, provámos um delicioso hambúrguer de frutos secos.

Há sempre um prato quente e, sem qualquer objeção ao consumo de carne, deliciámo-nos com um Ragu de novilho, cozinhado muito lentamente, repleto de sabor.

Igualmente sugestivo estava o Frango, cozido a baixa temperatura, com manteiga de amendoim.

A vantagem do brunch é poder ser uma refeição longa, sem constrangimento de tempo. Vale, por isso, chegar às sobremesas, que para nossa surpresa, estava livre de açúcar. Encontrámos Panacota com abacaxi, passas, gengibre e canela; Bolo de laranja e Tarte de Chocolate com leite vegetal.

Maria João Mayer, que nos recebeu no espaço, destaca aqui “a possibilidade de comer bem, com recurso a bons ingredientes. É tudo natural!”. A acompanhar o brunch há sempre sumos naturais e águas aromatizadas.

Durante a semana, têm opção de refeições, num menu de pratos que vão variando diariamente. A Spleen dispõe ainda de uma sala, no interior do Museu, com uma decoração única, em ambiente exclusivo, que oferece a possibilidade de promover eventos com toda a privacidade.

A Cafetaria Spleen abre de terça a domingo, entre as 10h00 e as 18h00. Aos sábados e domingos, a opção é de brunch pelo valor de 15 euros por pessoa. É concorrido e aconselha-se, por isso reserva antecipada.

Leave a Reply

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.