Boom Festival Traz Festivaleiros De 147 Nacionalidades A Idanha-A-Nova

Até 29 de julho, Idanha-a-Nova recebe mais uma edição do Boom Festival, que conta este ano com boomers de 147 nacionalidades, o que corresponde a 85% do público aguardado pela organização. A Costa Rica é o país convidado daquela que é a 12ª edição do festival bienal de cultura independente e que, desde 1997, se realiza na lua cheia de julho ou agosto e que é já uma referência internacional.

A edição deste ano, que assinala os 20 anos do Boom festival é dedicada ao tema da geometria sagrada e inclui concertos, exposições, oficinas e atividades viradas para a reflexão sobre o mundo que nos rodeia.

No espaço Sacred Fire vai ser possível assistir a concertos de bandas como Black Bombaim, Fogo Fogo e O Gajo, bem como artistas internacionais como Cosmic Dead ou Les Filles de Illighadad.

O recinto e a programação do BOOM estão divididos por áreas:

Instalações de Arte – “Os visionários que trabalham na vanguarda da arte psicadélica agitam-nos os sentidos com esculturas, obras cinéticas, pinturas, projeções de vídeo, Land Art e outros projetos inovadores como o Garden of Tech Art ou instalações de arte flutuante no lago imenso da Boomland.”

A Liminal Village – “Já inspirou milhares de Boomers a conhecer, aprender, participar e a trocar informações. Com filmes que provocam reflexões profundas até aos nossos vibrantes painéis de discussão, a Liminal Village, convida um manancial de especialistas do mundo inteiro para partilhar conhecimento e estimular discussões críticas sobre alguns dos problemas mais importantes da actualidade.”

Eco Tech Hub & Ngo Django – “Áreas que estabelecem as bases para o envolvimento dos Boomers em projetos que incrementem a sua participação cívica no quotidiano pós-festival. Servem de mostruário para projetos que combinam ecologia, novas tecnologias e um fórum onde podes conhecer as pessoas que são responsáveis por organizações pioneiras que promovem a mudança social.”

Being Fields – “Anteriormente conhecida como Healing Area (Área da Regeneração), visitar os Being Fields é como estar num festival dentro de um festival. Este é o epicentro espiritual do Boom Festival, que irradia energia para toda a Boomlândia. Um sítio para os Boomers que desejam percorrer os seus deslumbrantes jardins e encontrar atividades revigorantes do corpo e do espírito. As práticas diárias de grupo vão desde o yoga e meditação até às artes marciais, cura pela som, watsu e temazcal, workshops e atividades direcionadas para o bem-estar. Para além disso, os terapeutas individuais oferecem uma grande variedade de práticas holísticas e terapias diversas.”

Nataraj Dance Stage – “Palco inspirado pelo simbolismo icónico representado pela divindade Shiva Nataraj. Muitas vezes enquadrado num círculo de energia cósmica – Nataraj simboliza o ritmo e a harmonia da vida. Apresenta um programa intenso dedicado à prática de danças fascinantes, com estilos de dança variados, coreografias contemporâneas e étnicas, num programa pleno de dança e actividades performativas.”

Performances – “Criaturas hiper-surrealistas e seres sobrenaturais brotam em todos os cantos. Medusas voadoras, cuspidores de fogo destemidos, performances e espetáculos mutantes ao ar livre e artistas de circo surpreendentes vão criando o ambiente certo para uma uma genuína peregrinação interdimensional. A transição para este mundo é subtil e não dá nota de aviso, energizando a imaginação, estimulando o intelecto, abrindo-nos o coração, deixando-nos regenerar o elo erodido que ainda nos liga à nossa criança interior.”

Museu De Arte Visionária – “O Boom Festival acolhe um fluxo de artistas que são inspirados pela atmosfera que permeia este encontro e que acaba por também moldar e definir a estética visual e transformadora que caracteriza as suas práticas artísticas. Dessa exploração das formas de arte psicadélica que tem acontecido desde 2002 resultou a edificação do Museu de Arte Visionária. Esta galeria exibe uma ampla gama de técnicas e influências artísticas. Estas incluem a arte amazónica e indígena, a tradição budista tibetana, o electro-mineralismo, a técnica flamenga de pintura em madeira, o artivismo visionário e estilos modernos como a fusão digital e a arte graffiti visionária.”

Alchemy Circle – “Palco dedicado à imersão sensorial através do trance, um lugar onde a vibração hedonista se sincroniza e alinha com o ritmo da natureza, um lugar pleno de descobertas, onde géneros musicais como o trance tecnológico, o tecno melódico, o dark progressivo, o neo trance, o tecno psicadélico, o glitch hop e a bass music se manifestam como sendo apenas algumas das faces diferentes de uma mesma experiência totalizante. Não é um palco alternativo, é mais uma das matizes da curadoria musical holística do Boom Festival.”

Dance Temple – “Uma manifestação monumental da música moderna psytrance em todo o seu esplendor caleidoscópico, uma experiência audiovisual hipnotizante da cultura magnífica que se materializou a partir deste género musical. Uma visão de arquitetura temporária excepcionalmente cuidada que vai para lá das pistas de dança de trance padrão já que é cuidadosamente afinada com as vibrações do sol e da lua, do dia e da noite. A programação musical neste templo tem o objetivo de criar a configuração perfeita para um ritual de dança, com uma pista subliminarmente ativada por trancers de todo o mundo. Incorporando uma vasta decoração psicadélica e visionária, nem sempre é fácil descobrir exatamente onde a jornada começa e onde finda, já que esta é uma experiência coletiva singular que nos exibe momentaneamente qual o sentido último da vida.”

Chill Out Gardens – “Um lugar absolutamente tonificante. Feito com uma bela estrutura de bambu que hospeda vários géneros musicais desde os vôos ambientais sem ritmo até às sonoridades chill mais estimulantes: este é o último sítio para aterrar ou o primeiro onde levantar.”

Sacred Fire – “Maravilhosamente terreno, incrivelmente orgânico, parece que o Fogo Sagrado esteve aqui desde sempre, juntamente com as árvores e as flores que sempre ocuparam este lugar. A arte assume uma nova figuração enquanto que a música nos leva a uma outra dimensão com sons que incluem a sonoridade de bandas emocionantes de world music, nu LatAm, psych rock e funk. Repleto de árvores mágicas, pequenos locais acolhedores, esculturas e instalações luminosas, o Sacred Fire presta homenagem aos workshops práticos, à beleza da Mãe Terra e à vida em comunidade.”

 

Sustentabilidade Ambiental

A promoção da sustentabilidade ambiental é um dos pilares do Boom Festival, membro da iniciativa “United Nations Music & Environment Stakeholder” desde 2010, a convite da UNEP – United Nations Environment Programme, organismo pertencente à ONU, e distinguido em 2008, 2010, 2012, 2014 e 2016 com o “Outstanding Greener Festival Award”, o prémio mundial mais importante de eventos sustentáveis atribuído por “A Greener Festival”.

Nesta edição a organização do BOOM reforçou as medidas de segurança, nomeadamente a nível da prevenção de incêndios e segurança, contando com um contigente de 761 militares da GNR durante as operações, para assegurar a manutenção da ordem pública, a proteção de pessoas e bens e garantir a normal regularização do trânsito.

No lago vão estar oito nadadores-salvadores distribuídos por dois turnos, alocados a quatro postos de vigia, uma embarcação e duas motas de água enquanto os Bombeiros Voluntários de Idanha-a-Nova marcarão presença com uma embarcação tipo zebro. Já o Hospital de Campanha do Boom é formado por nove contentores com ar condicionado e com condições para a realização de vários tipos de atos médicos, essenciais a um evento com a duração de oito dias, numa das regiões mais quentes do país. Cinco médicos, oito enfermeiros, dois fisioterapeutas, 28 tripulantes de ambulância e três administrativas compõem a equipa que assegurará o funcionamento do hospital, duas ambulâncias e três viaturas todo o terreno devidamente equipadas e dois postos médicos secundários/avançados.

Também os restaurantes e barraquinhas de comida presentes vão funcionar de acordo com as regras e normas de segurança estabelecidas pela ASAE.

O festival arrancou no dia 22 e prolonga-se até dia 29 de julho, e decorre nos 150 hectares da Herdade da Granja, na margem direita da Albufeira de Idanha-a-Nova. Os bilhetes para o festival foram postos à venda por fases no site do evento, a 155 euros na primeira fase e 195 euros na segunda e são para nove dias de festival efetivos com permanência no recinto, campismo gratuito e todos os serviços, para além de programação que vai muito além da música. Nestas duas fases, foram vendidos 28.600 bilhetes. Quem ainda quiser adquirir bilhetes diários pode fazê-lo na bilheteira do recinto e custam mais de 22 euros por dia (preço a confirmar no local)

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.