Boa Comida, Bons Vinhos e Boa Companhia no Sheraton Algarve Hotel & Pine Cliffs Resort

Reportagem de Ana Horta e Paulo Sopa

IMG_4943Boa Comida, Bons Vinhos e Boa Companhia … num local fantástico. Foi assim que no passado sábado, 29 de março, o Sheraton Algarve Hotel & Pine Cliffs Resort levou a cabo a 4ª edição do evento Cooking Through Generations, tendo como convidado de honra o prestigiado Chefe inglês Marc Fosh.

A viver em Espanha desde 1991, Marc Fosh foi o primeiro Chefe britânico a ser distinguido com uma estrela Michelin em Espanha, e é atualmente proprietário de três restaurantes no país vizinho.

O jantar foi precedido de um cocktail de boas vindas onde os presentes foram brindados com diversos canapés – a cargo do Chefe executivo do Resort Osvalde Silva -, acompanhados por diversas bebidas, de onde se destacaram os vinhos Polyphonia Reserva 2012 tinto e branco (uma nota muito positiva para o branco, muito bem equilibrado e com boa acidez), ao som do saxofone de Virgolino Zacarias.

Depois de conferir a azáfama organizada da cozinha na altura da preparação dos pratos, fomos encaminhados para a sala do restaurante Pescador onde, com música ambiente (talvez um pouco de volume a mais, ainda assim…) ao vivo, foi servido o jantar. O jantar, esse, contou sempre com a presença do Chefe Marc Fosh na sala para a apresentação de cada prato, mostrando também o seu lado simpático e comunicativo.

Este slideshow necessita de JavaScript.

A refeição começou com uma Sopa de amêndoa arrefecida, sardinhas marinadas em azeite, maçã verde e funcho. Uma sopa fria, que demonstra bem a paixão de Fosh pelos ingredientes frescos e produtos de qualidade, numa fusão inovadora com a cozinha mediterrânica. Este prato foi harmonizado com o vinho alentejano Dona Maria branco 2012, um vinho que combinou perfeição com o prato, com a sua elegância e sabor a fruta.

Depois de mais dois dedos de conversa à mesa com pessoas muito simpáticas, chegou o Robalo assado com salsa, alcaçuz e anchovas, numa combinação improvável e delicada. O peixe – cozinhado na perfeição, diga-se – viu os seus sabores inflamarem-se por uma levíssima espuma de salsa e um molho de alcaçuz que deliciou os comensais. Para este prato, mais complexo, foi escolhido o vinho branco Vale da Poupa 2011 Vinhas Velhas (douro), que se mostrou à altura do prato, a mostrar todo o seu carácter brilhante, cítrico e delicado, com ligeiras notas de baunilha. Ao contrário do anterior que se bebe quase sozinho, este pede uma boa companhia e um bom prato de peixe.

Este slideshow necessita de JavaScript.

O Lombo de Borrego com ervilhas frescas, presunto “Jabugo” e hissopo revelou-se um prato mais simples nas suas combinações, mas complexo no sabor, muito por culpa do hissopo, uma erva medicinal cujo sabor vive entre o tomilho e o alecrim, e que emprestou ao prato a complexidade necessária para o elevar a outro nível. Uma carne delicadamente rosada e tenra que foi acompanhada por mais um tinto alentejano, um Chocapalha encorpado mas muito elegante, com muita fruta preta madura, perfeito para o prato em questão.

Para terminar, a cereja em cima do bolo (quase literalmente): uma sobremesa de Creme de limão, duhkka doce, Sorbet de cereja (só não estava em cima do bolo!) e água das rosas, ras al hanout de caramelo. Foi provavelmente o prato que ficará mais na memória: primeiro estranha-se, depois entranha-se.

A dukkah é uma mistura de especiarias com origem egípcia, que, na sua base, contém cominhos, erva-doce, pimenta preta e sementes de coentros, misturadas com frutos secos moídos (avelãs, principalmente). Conseguir ligar e fazer funcionar estes sabores numa sobremesa, juntando um creme de limão e sorbet de cereja, é de facto um ato de mestria, criatividade e genialidade. Para acompanhar uma sobremesa desta categoria, não haveriam muitas escolhas. E quando começou a ser servido o vinho licoroso Horácio Simões da casta autóctone quase em extinção – “Bastardo” -, quem já o tinha provado, pôs-se logo em sentido. Muito aromático, redondo, suave, meigo… Tudo na medida certa, para a sobremesa certa.

Este slideshow necessita de JavaScript.

No dia seguinte, fomos ainda brindados com um almoço especialmente preparado pelo Chefe executivo do hotel, Osvalde Silva, no restaurante O’Grill, localizado no luxuoso Pine Cliffs Residence. Este Chefe, algarvio e sempre simpático, recebeu-nos na cozinha e preparou-nos para entrada cubos de salmão sashimi com waka e gengibre rosa, depois um lombo de vitela com cogumelos e puré de aipo e finalmente um tiramisu com gelado de manga e tangerina. Uma nota para o lombo de vitela que quase não precisava de faca, pois o toque do garfo era suficiente para a carne se desfazer, de tão tenra e bem cozinhada que estava. Delicioso, como seria de esperar deste chef que tão boas provas tem dado.

Finalmente, uma nota também para a iniciativa que decorreu em simultâneo: o Pine Cliffs Ultimate Challenge, um evento desportivo de solidariedade que decorreu durante o dia 29 de março e que arrecadou mais de 1000 euros para os cofres da Santa Casa da Misericórdia de Albufeira, mesmo com um dia chuvoso, mas ainda assim os participantes puderam desfrutar do ambiente natural paradisíaco que envolve todo o complexo turístico.

IMG_4836

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.