Bicentenário Do Nascimento De D. Fernando II Assinalado Com Exposição No Palácio Da Pena

Fernando Coburgo Fecit: a atividade artística do rei-consorte é o nome da exposição patente ao público no Palácio da Pena, em Sintra, para assinalar o bicentenário do nascimento do rei D. Fernando II.

A mostra, instalada nos Aposentos de D. Manuel II, no palácio, é dedicada à obra artística do monarca e dá a conhecer um acervo nunca exposto como desenhos, gravuras e documentos manuscritos, e outros objetos entretanto incorporados no espólio, com destaque para uma moldura com pratos em cerâmica pintados pelo rei, e conta com curadoria de Hugo Xavier, conservador do Palácio.

A mostra conta para além de peças pertencentes à colecção do Palácio, com algumas doações efetuadas por descendentes da Condessa d’Edla, segunda mulher do monarca; peças cedidas por particulares e instituições, como o Museu Nacional de Arte Antiga, Palácio Nacional da Ajuda, Museu-Biblioteca da Casa de Bragança e, dentro do universo da PSML, o Palácio Nacional de Queluz.

5-prato-creditos-pmsl-joao-krullA exposição está patente nos antigos aposentos de D. Manuel II, situados no piso nobre do Torreão do Palácio Nacional da Pena, recentemente restaurados, onde se destacam os estuques dos tetos, as paredes, janelas e pavimentos, com especial atenção aos vestígios de cor que ainda se puderam encontrar nas paredes, assim como portas e ombreiras. Após o fim da exposição, os compartimentos serão musealizados e reintegrados no percurso regular de visita do Palácio.

D. Fernando II, nasceu Fernando de Coburgo na Alemanha, era primo directo da Rainha Vitória de Inglaterra e de Elizabeth (Sissi) e do Imperador Francisco José da Áustria, vindo de uma família muito ligada às artes. Casou com D. Maria II, e foi pai de D. Pedro V (o monarca mais avançado e iluminado que tivemos) e D. Luís (também ele artista). Casou em segundas núpcias com a cantora Elise Friederike Hensler – que ficou conhecida como Condessa de Edla e para quem mandou construir um Chalet no Parque da Pena. Morreu em 1885, aos 69 anos de idade.

Ficou conhecido entre nós como o “rei-artista”, era um homem culto, elegante, melómano, grande colecionador e mecenas das artes, hábil desenhador, destacou-se na área da gravura, numa primeira fase, e na pintura sobre cerâmica, numa fase mais tardia.

A vida familiar com os filhos, cenas do meio social que frequentava, o reino animal, especialmente cavalos, passando pelos costumes, mitos e heróis, representando tradições populares portuguesas, figuras associadas a mitos heróicos húngaros e personagens históricas, foram alguns dos temas que pintou, assinando sempre com o F e C sobrepostos (Fernando Coburgo) seguidos do f. de fecit (do latim fez).

A exposição pode ser visitada até 30 de abril de 2017, das 9h45 às 19h00, e o bilhete para o palácio e para o parque custa 14 euros para os adultos, e 12 euros dos 6 aos 17 anos, e pode ser adquirido na bilheteira do Palácio e nos postos de turismo da Vila de Sintra.

Leave a Reply

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.