Biblioteca Nacional De Portugal Inaugura Exposição Do Convento Ao Campo Grande

A Biblioteca Nacional de Portugal, em Lisboa apresenta a partir de amanhã uma exposição, com documentação inédita, que marca os 50 anos da mudança da Biblioteca Nacional do Convento de São Francisco para o edifício do Campo Grande.

A exposição Do Convento ao Campo Grande, comissariada pelos arquitetos João Pardal Monteiro e João Paulo Martins, pretende assinalar a mudança da Biblioteca Nacional de Portugal (BNP) do Convento de São Francisco, onde estava instalada desde 1837, para o novo edifício do Campo Grande, em 1969, reconstituindo o contraste de ambientes através de peças originais, algumas mostradas ao público pela primeira vez.

A exposição vai incidir principalmente nos processos de arquitetura de interiores e mobiliário, através de desenhos de projeto, fotografias, relatos do então diretor da Biblioteca, Manuel dos Santos Estevens, documentando os trabalhos, entre outros materiais.

A exposição pretende “dar a conhecer como foram detalhadamente pensados e construídos os interiores e equipamentos do novo edifício”.

Cada função, cada utilizador, cada ocasião – sala a sala, móvel a móvel – denotam a preocupação de criar condições adequadas para o trabalho, de materializar um sentido de rigor e de ordem”, explicaram os comissários João Pardal Monteiro e João Paulo Martins, sublinhando que, enquanto investigadores, foram surpreendidos pelas peças que encontraram e pelo cuidado que estas evidenciam “na conciliação do rigor, funcionalidade e estética.

A Biblioteca Nacional foi inicialmente instalada no Terreiro do Paço. A falta de condições para receber as livrarias dos conventos extintos em 1834, levou a que fosse transferida, três anos depois, para o antigo Convento de São Francisco, no Chiado. No entanto, estas instalações eram desadequadas e era preciso um novo edifício. Em 1952, foi iniciado o processo de mudança da BNP, já sob a direção de Manuel Santos Estevens, para o atual edifício no Campo Grande.

O projeto de arquitetura foi entregue ao arquiteto Porfírio Pardal Monteiro e continuado por António Pardal Monteiro, envolvendo “uma equipa multidisciplinar de jovens projetistas para as infraestruturas técnicas, paisagismo, interiores e mobiliário”. O arquiteto José Luís Amorim ficou encarregue do projeto dos depósitos e das salas de trabalho dos serviços e o designer Daciano da Costa encarregou-se da arquitetura de interiores e mobiliário das salas de direção e principais espaços públicos (catálogo, leitura geral, restaurante, auditório). O desenho de algumas peças complementares ficou a cargo do arquiteto Manuel João Leal, tendo o mobiliário sido construído por empresas como a Olaio, Altamira e Fábrica Osório de Castro.

A exposição resulta de uma parceria entre a BNP e o Centro de Investigação em Arquitetura, Urbanismo e Design da Faculdade de Arquitetura da Universidade de Lisboa.

A exposição Do Convento ao Campo Grande vai estar aberta ao público até ao dia 4 de outubro de 2019, de segunda a sexta-feira, das 9h30 às 19h30, e ao sábado, das 9h30 às 17h30, e a entrada gratuita.

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.