Bairro mais na moda de Portugal festeja anos pela primeira vez

A 15 de Dezembro de 1513 foi dada autorização para a construção de habitações na Vila Nova de Andrade – o bairro que ali começou a serconcebido e que é hoje conhecido como Bairro Alto –, tendo sido os Andrade, uma família rica de origem galega, os primeiros a obterem autorização para um loteamento privado junto à muralha de Lisboa. 497 anos depois a associação de comerciantes propôes assinalar a data e organizou, com as Juntas de Freguesia da Encarnação e de Santa Catarina e a Câmara Municipal – através da Hemeroteca Municipal de Lisboa (HML) – um inédito programa de aniversário, que inclui, entre outros, percursos históricos, mostras de jornais e revistas da colecção da HML, animação de rua e um almoço de gentes do bairro no Café Luso.

São várias as iniciativas que estão hoje a decorrer, desde as 10h00 e que se vão prolongar até às 24h00, a maioria delas com um forte cariz histórico. O ponto de partida foi dado com a inauguração, na Sala do Espelho da HML, da mostra bibliográfica “O Bairro Alto no Fundo Histórico da Hemeroteca Municipal de Lisboa”. A exposição, aberta até 31 deste mês, reúne alguns jornais e revistas, com publicações periódicas dos séculos XVII, XIX e início do século XX.

Às 11h00 começou, na Hemeroteca, o primeiro percurso histórico do programa sob o tema Bairro Alto – Capital do Jornalismo Português. O passeio literário pelo bairro, considerado a “antiga capital do jornalismo português”, inclui passagens “pelas ruas das redacções de jornais e revistas já extintos”, intercaladas “com pequenas histórias sobre a vida dos periódicos”.

Às 15h00, é a vez de o percurso Ribeiro de Carvalho (1880-1942) – Da Escrita à Política ter início. Em foco, vai estar a vida do político e jornalista da I República, relacionando-a com os espaços do Bairro Alto. A participação nos roteiros é gratuita, mas sujeita a inscrição prévia, que pode ser efectuada até à altura do evento.

Também as duas visitas de Estudo que vão decorrer hoje estão sujeitas a inscrição prévia. A primeira, denominada As Ruas Têm Nome – Ler a Toponímia, começa às 15h00 e “consiste numa visita guiada pelas ruas do Bairro Alto”, durante a qual “os participantes poderão percorreras ruas do bairro para perceber o contexto histório da sua toponímia”, lê-se no programa.

Já a segunda, inicia-se às 17h00 e tem como objectivo dar a conhecer os recursos informativos incluídos na HML, localizada em pleno Bairro Alto, a professores e alunos das escolas básicas e secundárias.

O ponto de encontro das visitas de estudo é, tal como o dos percursos históricos, na Hemeroteca.

Do programa do Dia do Bairro Alto, faz ainda parte uma conferência, com início às 18h30. A actividade, sob o tema “Bairro Alto: Capital do Jornalismo na I República”, vai decorrer na Sala do Espelho da HML e está a cargo de Álvaro Costa de Matos. A iniciativa decorre depois de ser inaugurada na Galeria Somafre, Travessa da Queimada, às 18h00, uma mostra fotográfica intitulada “O Bairro Alto de Hoje e no Início do Século XX”, com documentos do Arquivo Fotográfico.

O dia termina com animação de rua pelo Bairro Alto, que vai dcorrer entre as 20h00 e as 24h00, a cargo da orquestra Nema Problema e da responsabilidade da Associação de Comerciantes do Bairro Alto. Já as juntas de freguesia da Encarnação e de Santa Catarina fazem parte da organização do almoço que será oferecido pelo Café Luso.

Texto de Cristina Alves

Deixar uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.