O Atelier-Museu Júlio Pomar Apresenta Exposição Vencedora Da Primeira Edição do Prémio Atelier-Museu Júlio Pomar/ EGEAC 2015

expo1O Atelier-Museu Júlio Pomar inaugura no próximo dia 3 de março a exposição – Já reparaste como um ponto de interrogação parece uma orelha e, como a interrogação se faz escuta?, vencedora da primeira edição do Prémio Atelier-Museu Júlio Pomar/ EGEAC 2015.

A mostra tem curadoria de Maria do Mar Fazenda e remete para uma pergunta que Júlio Pomar colocou a Helena Vaz da Silva, em 1979. Com esta proposta, especificamente desenhada para o espaço do Atelier-Museu Júlio Pomar, Maria do Mar Fazenda, procura mais do que uma resposta, procura um interlocutor.

Partindo de uma pergunta: O que acontece ao espaço se invertermos o seu nome?, a proposta curatorial reúne obras de vários artistas que abordam a organização espacial e discursiva do museus: Ana Pérez-Quiroga (A Colecção e o seu Discurso), Andrea Brandão (O Efeito de Musealização), Ângelo Ferreira de Sousa (O Museu Como Campo de Batalha), Catarina Botelho (O Espaço Museológico Enquanto Heterotopia – um outro lugar simultaneamente real e imaginário), Fernanda Fragateiro (A Biblioteca e o Museu, em permanente alargamento e construção), Lúcia Prancha e Sara Fernandes (As Formas Expositivas Vanguardistas de Lina Bo Bardi), Mafalda Santos (A Rede Que Liga Artistas, Curadores, Exposições e Instituições), Mariana Silva (As Ideias de Património, Cultura e Legitimidade), Ramiro Guerreiro (Os Dispositivos de Apresentação das Obras de Arte e as Instituições/Exposições Como Dispositivo), Rodrigo Oliveira (O Acto de Coleccionar, Público e Privado), Sara & André (A Citação da Instituição-Museu).

Integra ainda a mostra uma pintura de Jules Dupré, pintor da Escola de Barbizon, que foi doada por Calouste Gulbenkian ao Museu Nacional de Arte Antiga e o espaço “Um lugar para conversar num museu-atelier” – onde irão decorrer encontros entre a curadora e diversos profissionais e nos quais o público é convidado a participar.

– já reparaste como um ponto de interrogação parece uma orelha e, como a interrogação se faz escuta? Um museu-atelier no Atelier-Museu Júlio Pomar pode ser vista no Atelier-Museu Júlio Pomar em  Lisboa, de 4 de março a 10 de abril de 2016, de terça a domingo, das 10h00 às 18h00. A entrada é gratuita.

Texto de Ana Filipa Correia

 

 

 

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.