Ao sábado venha provar o Brunch do restaurante Flor de Lis

Reportagem de Tânia Fernandes e António Silva
 

brunch_09O tempo é o melhor amigo do brunch. Tempo para degustar, saborear, sentir o corpo revigorar com a lista de iguarias que esta combinação de pequeno-almoço com almoço pode oferecer. No Flor de Lis, restaurante do hotel Epic Sana em Lisboa, aos sábados, é possível desfrutar dessa experiencia, em requintado e agradável ambiente.

A dois, em família, ou com amigos, pode fazer do momento da refeição o espaço de convívio. Em dias em que o mostrador do relógio não se impõe e é possível desfrutar dos prazeres gastronómicos longe do compasso dos ponteiros.

O brunch no Flor de Lis começa com As boas vindas na mesa. A receção é feita com danish pastriese seleção de pães, iogurte e trio de sumos energéticos, fiambre e queijo, doces caseiros, água e sumo de laranja natural. É uma espécie de primeira fase, em que o corpo rebe os primeiros alimentos do dia. Mas uma vez que esta refeição é opção de quem começa o dia a horas mais tardias, cabe ao cliente decidir qual o complemento que lhe vai acrescentar.

A opção aqui varia entre um Light Brunch que combina As boas vindas na mesa com 4 peças de Degustação do Chefe, 6 peças de Sushi e Sashimi, omeletes a gosto, ovos mexidos ou estrelados, fruta laminada e café e pastel de nata ou o Epic Brunch, que acrescenta ao Light Brunch a Sopa do dia, a Sugestão Tradicional de peixe ou carne, 4 peças de Degustação de doces e vinho a copo.

A duração do brunch fica ao critério de cada um, assim como a ordem de entrada dos pratos. Não há necessidade de preocupações em pedir ou levantar para escolher. A perspicácia de quem está por perto permite que a refeição se faça sem grandes interrupções ou forçada a um determinado ritmo. Há tempo para digerir, por a conversa em dia, fazer uma pausa para ler o jornal e deixar o momento correr. Este brunch oferece uma panóplia de sabores que vale a pena saborear e retirar dos alimentos toda a informação.

As sugestões chegam-nos pela batuta do Chefe Patrick Lefeuvre, e são sempre diferentes de semana para semana. No dia em que o C&H se sentou à mesa foram de saladinha de polvo à Algarvia, salada grega, espetada de frango ao molho Teriyaki e bruschetta de tomate e lasca de parmesão na Degustação do Chefe, rolos, niguiris e shirashi no prato referente ao Sushi, ovo benedict, arroz de peixes e mariscos e borrego confitado com parmentier de legumes de Sugestão Tradicional e macaron de chocolate e creme de cassis, cheesecake de morango, creme brulé de chã preto e arroz doce com canela na Degustação de Doces.

Há ainda possibilidade de escolher pratos à parte, de uma carta que complementa este brunch. Necessidade de o fazer? Nenhuma, uma vez que o menu original pouco espaço deixará à necessidade de mais alimento. De qualquer forma, a gula estimula o apetite e a oferta de pratos de massa, entre outros, pode ser tentadora!

Pode não ser a opção mais económica de brunch em Lisboa. Mas soma pontos no que toca a ambiente, qualidade da oferta gastronómica num exercício perfeito de estímulo de paladares. Comer, beber e orar por mais!

Leave a Reply

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.