Amor e Informação de Caryl Churchill Estreia no Teatro Aberto

Amor e InformaçãoReportagem de Tânia Fernandes

13 atores desdobrados em mais de uma centena de personagens, vêm contar 54 histórias diferentes. Amor e Informação de Caryl Churchill é a peça que estreia este sábado no Teatro Aberto, com encenação de João Lourenço. “Uma peça que está salpicada de situações do quotidiano” como referiu o próprio no final da apresentação à imprensa.

O palco é uma caixa, com profundidade, onde decorrem algumas histórias.  Outras, vêm para fora da caixa, junto aos ecrãs que simulam dispositivos móveis e onde vão passando vídeos que fazem a ligação entre os momentos que compõem este espetáculo. Num conceito de dramaturgia contemporâneo, a peça é uma espécie de zapping sobre a sociedade atual. Amores digitais, estrelas idolatradas até à loucura, as relações, a forma como hoje se processa a comunicação e aquilo que, para o encenador, é uma das grandes questões da nova geração: a memória. “Hoje ninguém sabe nada. Se queremos identificar alguém recorremos de imediato ao telemóvel ou ao tablet. O que vai ser da memória daqui a uns anos?” questiona.

Escrito por Caryl Churchill e estreado em setembro de 2012, no Royal Court Theatre em Londres, o texto impressiona pela atualidade e reflexão irónica da forma como hoje vivemos. Retrato de uma sociedade que prefere “tirar selfies ou filmar em vez de viver o momento” aponta João Lourenço. Amor e Informação representou uma rotura na própria obra da autora que assinou peças já representadas em Portugal como Top Girls (Teatro Aberto em 1983), Sétimo Céu (Teatro Villaret em 1997), Distante (Casa das Artes de Vila Nova de Famalicão em 2002) ou Um Número (Culturgest em 2005). Surpreende pela forma jovial como aborda a realidade, para mais se tivermos em conta que Carol Churchill nasceu em 1938.

São duas horas de curtos spots em que acabamos por nos rir com temas que não são de todo ligeiros. “O que é sério no espetáculo, é sério por si” explica-nos João Lourenço, justificando desta forma, a razão pela qual a peça acaba por permitir umas valentes gargalhadas.

[satellite auto=on caption=off thumbs=on]

A opção da encenação aqui, foi no sentido de atribuir temas aos pequenos episódios, conduzindo o espectador pela controvérsia das reflexões. Um dos textos resultou de um desafio lançado ao público em geral e foi totalmente gravado em vídeo. Diogo Valsassina é o autor deste pequeno guião.

Nota máxima para “A Última Ceia” em que os 13 intervenientes, reunidos à mesa, estão de olhos pregados em ecrans e comunicam somente por mensagens eletrónicas.
Onde é que eu já vi isto?

Fazem parte do elenco de Amor e Informação Ana Guiomar, Carlos Malvarez, Cristóvão Campos,Francisco Pestana, Irene Cruz, João Vicente, Marta Dias, Marta Ribeiro, Melim Teixeira, Patrícia André, Paulo Oom, Rui Neto e Teresa Sobral.

A peça estreia dia 13 de dezembro e pode ser vista até ao dia 15 de março de 2015, no Teatro Aberto de quarta-feira a sábado às 21h30 e aos domingos às 16h00. Os bilhetes encontram-se à venda nos locais habituais e custam entre 15 euros e 7,5 euros.

 

1 Comentário

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.