Alive passa a ser NOS

aliveday2-57A dúvida sobre a mudança acaba de ser desvendada. O Optimus Alive passa a ser NOS Alive no primeiro dia do festival. Assim ao entrar no recinto, os festivaleiros vão ficar a conhecer toda a nova comunicação da marca de telecomunicações que apoia o grande festival de música que ocupa já há sete anos o Passeio Marítimo de Algés.

Quem tem Nos em casa, vai poder acompanhar os concertos em direto num canal exclusivo, que irá emitir também em HD, com o apoio da RTP.

Arctic Monkeys, The Black Keys e The Libertines são os nomes que encabeçam esta edição, que se realiza nos próximos dias 10, 11 e 12 de julho. Imagine Dragons, Interpol, Foster the Peple, Bastille, Ben Howard, Sam Smith, MGMT, Buraka Som Sistema, The Lumineers, Kelis, Elbow, Au Revoir Simone, Nicolas Jaar, Chet Faker, Daughter, Temples, The War On Drugs, Unknown Mortal Orchestra, Paus, Noiserv, We Trust, entre muitos outros completam o cartaz desta próxima edição.

O Palco Raw Coreto conta, este ano, com um alinhamento de luxo. Nomes como Manuel Fúria e os 6 Náufragos, Sequin, Brushy one String, Cavaliers of Fun, The Walks, JUBA, D30 e Beautify Junkyards vão subir ao Palco RAW Coreto, que este ano conta com o patrocínio da G-Star Raw, marca holandesa de roupa.

logo_nos_aliveNem só de música se faz este festival. O Jardim Caixa será o primeiro palco dedicado à comédia num festival de música em Portugal. Recebe alguns dos maiores comediantes portugueses, tais como Aldo Lima, Salvador Martinha, Manuel Marques, César Mourão, Luís Franco Bastos, Nilton, Luís Filipe Borges, entre outros.

O festival disponibiliza entre outros serviços, uma barbearia vintage e um serviço especial para grávidas e pessoas com mobilidade condicionada. Para além da vista privilegiada para o Palco NOS, as futuras mamãs vão receber os mais variados mimos, desde massagens ao acompanhamento permanente de uma enfermeira. Para complementar este serviço têm transporte de ida e volta a todas as grávidas, de carro, entre a Fundação Champalimaud e o recinto do festival.

A presença de estrangeiros no recinto prevê-se elevada em consequência dos eco da imprensa que tem vindo a acompanhar o Alive. O jornal britânico The Times, em 2012, chegou mesmo a definir o Optimus Alive dizendo que é “como imaginar Glastonbury com sol e mar garantido”. A  NME tem vindo a colocar desde 2008 o Optimus Alive na lista dos 10 melhores festivais da Europa.

Já não há bilhetes à venda para dia 10 de julho. O bilhete diário (para dia 11 ou 12) custa 53 euros e a organização acaba de lançar um bilhete para os últimos dois dias por 89 euros.

Texto de Tânia Fernandes
Foto de Sara Santos

Leave a Reply

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.