Sexta-feira, 20 Setembro, 2019
Home Cultura Museus A Adoração dos Magos De Domingos Sequeira Já Brilha No MNAA

A Adoração dos Magos De Domingos Sequeira Já Brilha No MNAA

Por Elsa Furtado (Texto e Fotos)

Ao fim de oito anos de estar encerrada, a galeria do terceiro do Museu Nacional de Arte Antiga (MNAA) piso abre amanhã ao público, completamente renovada e com o tão aguardado Adoração dos Magos de Domingos António Sequeira em lugar de destaque.

Este é um momento muito importante para o MNAA, depois de uma campanha de angariação de fundos, que durou entre outubro de 2015 e abril de 2016 (e angariou 745.623,40 euros) para a aquisição da obra, que esteve a ser restaurada nos dois últimos meses, o Museu expõe ao público, em todo os eu esplendor a  Adoração dos Magos de Domingos António Sequeira, que foi ontem colocado no “lugar certo” e que pode ser visto por todos a partir de amanhã.

A obra foi pintada pelo mestre Domingos Sequeira em 1828, e faz parte da série Palmela, composta por quatro obras, e que foram as últimas que o artista pintou antes de morrer. É uma das sete pinturas a óleo que o museu possui, num acervo de cerca de 30 obras composto por pinturas e desenhos, significativas do Romantismo português.

Depois do restaurada, “a obra agora exposta ao público parece outra da que apresentada em outubro”, fez questão de destacar o diretor do MNAA, António Filipe Pimentel: “É quase outra pintura. Duzentos anos de sujidade e várias camadas de verniz tinham alterado o cromatismo da obra, perspectivas e a sua luz, uma das características mais relevantes na obra de Sequeira. Ela está como foi inicialmente pintada”, salientando ainda que “O trabalho do museu não é apenas de expor obras, mas também estudá-las e restaurá-las, e ajudar a conhecer os seus autores e as suas técnicas, como foi neste caso”.

A Adoração dos Magos está agora exposta ao público numa das galerias do 3º piso do museu, agora reaberto, e integra a mostra de pintura e escultura portuguesa, do século XIV ao século XIX, onde vai estar ladeada de outras obras do pintor e de outros artistas como Vieira Portuense.

No mesmo piso, todo ele renovado, vão estar também expostos os painéis de São Vicente da autoria de Nuno Gonçalves, uma das obras mais emblemáticas do MNAA, e que vão ficar numa posição mais destacada e rodeado de outras obras do mesmo autor.

Entre cerca de 250 obras de pintura e de escultura, algumas expostas ao público pela primeira vez, destaque ainda para pinturas de Josefa de Óbidos, o Presépio de Carnide, o Ecce Hommo de autor desconhecido, o quadro de Frei Carlos, entre várias outras telas e esculturas (na sua maioria de cariz religioso).

Ao longo de várias salas, e com um discurso expositivo modernizado e diferente do utilizado habitualmente, vemos pinturas e esculturas, às vezes lado a lado, de forma a transmitir melhor as noções e características dos períodos e contexto em que foram realizadas, seguindo uma ordem cronológica e sempre acompanhadas de uma legenda explicativa e com a respetiva informação técnica, em português e inglês. Uma nova exposição, quase todas peças já expostas, mas mais apelativa.

A Adoração dos Magos e a restante exposição de Pintura e Escultura Portuguesa dos Séculos XIV a XIX pode ser visitada a partir de amanhã, das 10h00 às 18h00, de terça a domingo, no Museu Nacional de Arte Antiga às Janelas Verdes em Lisboa. Os bilhetes para o Museu custam     e podem ser adquiridos no local.

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.