A Mãe e o Mar, de Gonçalo Tocha, estreia a 29 de Maio em Lisboa

cartaz_maeA longa-metragem A Mãe e o Mar, de Gonçalo Tocha, um documentário sobre as mulheres “pescadeiras” de Vila Chã, Vila do Conde, vai estrear a 29 de maio, no Cinema City Alvalade, Lisboa, onde vai ficar em exibição. No Porto, serão apresentadas três sessões no cinema Passos Manuel, a 30 de maio, com a presença do realizador, nos dias 8 e 9 de junho, às 21h30.

O filme foi produzido pelo Curtas Vila do Conde, no âmbito do projeto Estaleiro, envolvendo um grupo de estudantes de cinema, e através de Glória, “a única mulher que ainda vai ao mar”, revlela, por conversas, como as mulheres “desafiaram a tradição e obtiveram licenças de pesca, dedicando as suas vidas à pesca e ao amor pelo mar”, informa as Curtas Metragens CRL, responsável pelo Curtas Vila do Conde – Festival Internacional de Cinema.

Esta produção Curtas Metragens CRL foi apresentada pela primeira vez no 21º Curtas Vila do Conde – Festival Internacional de Cinema, estreou internacionalmente no Festival de Roma, passou no Doc Lisboa, “onde venceu o prémio de melhor longa-metragem portuguesa”, e integrou a seleção de vários festivais de cinema, como o de Mar del Plata (Argentina), CPH DOX (Dinamarca), RIDM Montreal (Canadá), Roterdão (Holanda). Recentemente, “A Mãe e o Mar” abriu o “Documentary Fortnight 2014” do MoMa – Museu de Arte Moderna, em Nova Iorque.

O filme, que tem sido recebido “com entusiasmo” pela crítica, resultou de uma encomenda ao cineasta e músico Gonçalo Tocha, no âmbito do programa de formação Estaleiro, e contou com a participação de um grupo de estudantes de cinema do Porto. Gonçalo Tocha rodou já filmes como “Balaou” (2007), que foi o vencedor do Melhor Filme Português e Melhor Fotografia no Indielisboa 2007, É na Terra não é na Lua (2011), rodado na Ilha do Corvo, e com uma menção especial do Júri no Festival de Locarno 2011, e premiado no Doclisboa 2011, no BAFICI (Buenos Aires) 2012, no San Francisco Int. Film Festival 2012 e no DocumentaMadrid 2012, Torre & Cometas, para a Capital Europeia da Cultura – Guimarães 2012, que teve estreia internacional no Festival de Roterdão 2013 e A Mãe e o Mar.

Texto de Catarina Delduque
 

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.