25 Anos De CCB E Três Grandes Ciclos Marcam A Temporada 2018/2019

A temporada de 2018/2019 do CCB vai destacar a festa de celebração dos 25 anos de Centro Cultural de Belém (CCB), iniciada em março deste ano, que se prolonga até ao final de 2018, com iniciativas várias e as três linhas de orientação do programa da nova temporada, a decorrer entre janeiro e julho de 2019, com três ciclos distintos: A Cabeça Entre as Mãos, ciclo sobre os mistérios do cérebro; Sete Rosas Mais Tarde, ciclo sobre a solidão e For Goodness Sake, ciclo sobre William Shakespeare.

No âmbito das celebrações dos 25 anos do CCB, depois da exposição CCB 25 Anos e do Dia Aberto, nota para a inauguração da mostra  Building Stories, na Garagem Sul, a 10 de julho, dia em que será inaugurada, na praça CCB, a instalação em cortiça “Uma Praça no Verão”. As celebrações culminam, a 5 de dezembro, com a estreia da peça Fausto, da Mala Voadora.

Um programa marcado pela excelência e diversidade que abarca, como habitualmente, artes performativas, arquitetura, cinema, literatura, música, dança, teatro, entre outras formas de espetáculos e arte.

A temporada sinfónica estreia a 30 de setembro com a Orquestra Sinfónica de Milão Giuseppe Verdi (La Verdi), inserida na Temporada Darcos, dirigida pelo compositor e maestro Nuno Côrte-Real. Passarão pelo Grande Auditório do CCB a Orquestra Melleo Harmonia, no dia 10 de outubro; a Orquestra Sinfónica do Porto Casa da Música, no dia 26 de janeiro; a Humberman Filarmónica, da Polónia, no dia 3 de fevereiro, entre outras.

Destaque para a evocação a Frédéric Chopin, no dia 18 de novembro, pela Orquestra Metropolitana de Lisboa, com Polónia: o Século da Independência e no dia 25 do mesmo mês, o concerto OSP: 25 Anos com a celebração dos 25 anos da Orquestra Sinfónica Portuguesa, dirigido por Joana Carneiro. Os concertos de Ano Novo, a 1 de janeiro, contam com a Orquestra Metropolitana de Lisboa e o maestro Evgeny Bushkov.
O CCB fará as transmissões (em diferido) da Royal Opera House, com programas como Mayerling, a 21 de novembro; La Bayadère, a 29 de dezembro ou La Traviata, a 19 de março, entre outras.

Das polcas, marchas, valsas, danças passamos às Óperas e Oratórias, com Vesselina Kasarova, a meio-soprano búlgara, que dedica um programa aos heróis da ópera barroca, Concerto de’ Cavalieri, no dia 9 de novembro; Segue-se no dia 16 de dezembro o Concerto de Natal A Infância de Cristo com a Orquestra Sinfónica Portuguesa e o Coro do Teatro Nacional de São Carlos. Nota para a 5ª edição do Atelier de Ópera da Metropolitana, de 25 a 27 de janeiro.

Vianna da Motta, um dos maiores pianistas do seu tempo, é recordado pelo 150º aniversário de nascimento, pelos pianistas Artur Pizarro e Raúl da Costa, nos dias 13 e 14 de outubro.

A iniciativa Há Fado no Cais conta com atuações de Camané, a 11 de outubro; Kátia Guerreiro, a 15 de fevereiro; Marco Rodrigues e Paulo de Carvalho, a 5 de abril, entre outros nomes do fado antigo e contemporâneo.

Ainda na música, destaque para a European Jazz Conference, de 13 a 15 de setembro; o Mozarfest, no dia 28 de outubro; Os Concertos de Natal, com Gisela João, nos dias 20, 21 e 22 de dezembro.

O CCB continua nesta temporada, a apresentar as iniciativas Dias Literários; Obra Aberta e Fábrica das Artes. Os Dias Literários, uma parceria com o Centro Nacional da Cultura, homenageará nomes como Jorge de Sena, Joel Serrão e Ferreira de Castro. A Obra Aberta, continuará a receber quinzenalmente um escritor e um leitor para uma conversa com Maria João Costa, aos microfones da radio Renascença. Nota ainda para a iniciativa (Quase) Toda uma Vida, com a jornalista Anabela Mota Ribeira, que conduzirá seis entrevistas com seis grandes personalidades diversas.

A iniciativa Literatura e Pensamento conta com Momento 1910, projeto evocativo do centenário do fim da I Guerra Mundial, nos dias 9 e 10 de outubro; o Ciclo Marte 2030, a decorrer entre outubro de fevereiro, num conjunto de conversas promovidas pelo Instituto de Astrofísica e Ciências do Espaço e Instituto de Tecnologia Química e Biológica António Xavier da Universidade Nova de Lisboa (ITQB); o Ciclo da História do Jazz com José Duarte, entre outubro e novembro; Ciclo A Guerra Fria – A NATO e o Pacto de Varsóvia, em janeiro e fevereiro e ainda o ciclo Grandes Conflitos da história, a decorrer nos três primeiros meses de 2019 e ainda 50 anos do 1º Homen na Lua, um ciclo promovido em maio e junho.

O Dia Mundial da Poesia (21 março) é assinalado a 23 de março e dedicado a Sophia de Mello Breyner Andresen, no ano em que se assinalam os 100 anos de nascimento da poetisa.

Continuam as exposições temáticas; os ciclos de cinema; os concertos; o Festival Verão Clássico 2018; e muitas outras iniciativas que fazem do CCB uma “cidade aberta” aos mais variados públicos e às mais diversas formas de arte.

Os bilhetes para alguns espetáculos já estão à venda e podem ser adquiridos online e na bilheteira do CCB.

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.