22º Curtas de Vila do Conde distingue Triângulo Dourado e Cambodia 2009

curtas_vcTriângulo Dourado, de Miguel Clara Vasconcelos, e Cambodia 2099 de Davy Chou (França/Cambodja), foram considerados, respetivamente, o Melhor Filme da Competição Nacional e o Melhor Filme da Competição Internacional, do 22º Curtas Vila do Conde – Festival Internacional de Cinema, que terminou no domingo, 13 de julho.

Na competição internacional, o Júri elegeu, além de Cambodia 2099, os filmes Person to Person (2014) de Dustin Guy Defa, com o Prémio Ficção, El Palácio (2013) de Nicolás Pereda, com o Prémio Documentário e Niebiesky Pokój (2014) de Tomasz Siwinski, com o Prémio Animação.

O prémio do Público para o filme de competição internacional foi para Panique au village: La Bûche de Noël (2014) de Vincent Patar e Stéphane Aubier e na competição nacional foi para Fuligem (2014) de David Doutel e Vasco Sá.

Na competição Nacional, além de Triângulo Dourado foi também distinguido David Doutel e Vasco Sá com o prémio para Melhor Realizador Português, pelo filme Fuligem.

A competição de vídeos musicais elegeu Far From Everything (2014), de Vasco Mendes, o Prémio Experimental foi para Hacked Circuit (2014) de Deborah Sratman, com Menção Honrosa para Ocho Décadas Sin Luz (2014) de Gonzalo Egurza.

Na competição Curtinhas, Twins in Bakery (2013) de Mari Miyazawa foi o vencedor, e The Dam Keeper (2013) de Roberto Kondo e Dice Tsutsumi recebeu uma Menção Honrosa.

A Melhor Média Metragem Portuguesa de Ficção foi para Boa Noite Cinderela» (2014) de Carlos Conceição, na categoria menos 45 minutos e para Bicicleta (2014), de Luís Vieira Campos, na categoria mais de 45 minutos.

Na Competição Take One, Manifesto dos Danados (2013) de João Niza Ribeiro foi o vencedor com Menção Honrosa para o ator Rodrigo Perdigão, no filme Vulto (2014), de Diogo Baldaia.

Texto de Catarina Delduque

Leave a Reply

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.