Deejay Kamala

A animação foi grande e passou muito para além das doze badaladas. Deejaya Kamala celebrou ontem 20 de dedicação à música de dança e fez a festa no Coliseu dos Recreios, com a família, amigos e outros artistas. A lotação esgotou.

O ambiente era de festa de rua, familiar. Fitas de luzes, a traçar o teto, tomavam o papel dos cabos de eletricidade de muitos becos, a servir de suporte a ténis atados. Nas laterais do palco, dois artistas de arte urbana demonstravam, ao vivo, a sua interpretação do artista homenageado. Pariz One e Mr Dheo tinham o seu próprio estrado elevado e a oportunidade de deixar, numa tela branca, o seu olhar por Kamala.

A festa começou cedo, pouco depois das 20h, com a atuação dos Soul Cats. Vindos de Lisboa, os Soul Cats  estão habituados a animar espaços de diversão noturna. Influenciados pelo pop, R&B e Soul, Gabriel, Jonatas, Márcio, Ariel e André, são músicos muito jovens mas já tocaram com alguns dos nomes da música portuguesa da atualidade, como Boss Ac, NBC, Sam The Kid, Plutonio, Filipe Gonçalves e Mia rose entre outros.

A banda fez o que lhe competiu, receber quem chegava ao recinto, e começar a aquecer articulações para o teto da noite. Fizeram-no com a interpretação de conhecidos temas de dança, ao qual não faltou o clássico “One More Time” de Britney Spears.

A noite estava quente e a multidão concentrada à porta do Coliseu, a beber mais um copo e a comentar os que pisaram a passadeira vermelha, acabaram por entrar só próximo da hora de início do concerto de Deejay Kamala. A sala estava assim composta as 21h30.

O espetáculo começou com a projeção de imagens da carreira do DJ numa cortina branca que ocultava o artista. No final da projeção, caiu o pano, revelando o artista e os primeiros convidados: Sir Scratch e Filipe Gonçalves. Uma entrada cheia de forma, com animação e logo muitos confitties disparados para o ar. Seguiu-se Cifrão, a conduzir o microfone, enquanto a suas crews davam um claro espetáculo do que de melhor se faz de street dance no nosso país. Primeiro com os The Blkbrds, depois com a BootCamp Crew.

Duas décadas foram contadas e cantadas com uma extensa lista de convidados. O corropio em palco prolongou-se pela noite fora com a presença de Virgul, Blaya, Matay, GrogNation, Bispo, Enoque, HMB, Aurea, Laton, MGDRV, Bob Da Rage Sense, Tekilla, Malabá, Mc Zuka, Estraca, Micro  (Sagaz), Mundo Complexo, Dino D’santiago, Papillon e SupaSquad.

Uma noite em que se fez história no Coliseu, com a atuação de um Dj nacional em nome próprio.  O espetáculo 2.0 fez a fusão entre a música urbana, o talento nacional e a tecnologia.

Leave a Reply

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.