20 Anos De Carreira De João Pedro PaisNo Coliseu De Lisboa

Reportagem de Madalena Travisco (Texto) e Joice Fernandes (Fotos)

Joao Pedro Pais
João Pedro Pais - 20 anos no Coliseu

A voz off do próprio deu as boas vindas ao concerto de celebração dos 20 anos de carreira na noite de 27 de outubro: “(…) O meu nome é João Pedro Pais e sejam muito bem vindos ao Coliseu”.

Por detrás dos panos, o quarteto de cordas Atlântico fez a introdução ao “Palco de Feras” e o levantar dos panos desvendou João Pedro Pais e a seguinte inscrição: “Entrei devagar. Pensativo e apreensivo. Duvidei, mas não vacilei. Canto e escrevo quem ouço e vejo. O meu público é-me intenso, e por isto retribuo-vos 20 anos das minhas e vossas canções. Obrigado e um abraço”.

Com uma produção “do caraças” – expressão que utiliza bastante – João Pedro Pais preencheu o Coliseu dos Recreios com “Louco”, “Nesse Dia Choveu”, “A Palma e a Mão”, “Faz Tempo”, “Lembra-te de Mim”, “Perdido”, “Mentira” e “Um Resto de Tudo”, este último ao piano. Por diversas vezes, com apelos às vozes da audiência. Apelos correspondidos prontamente para regozijo de todos. Também ao piano, fora do alinhamento, escutou-se o “Ser Poeta” com Luís Represas, presente na plateia, um agradecimento a João Gil que musicou este poema de Florbela Espanca, mas também a ambos terem sido fundadores dos Trovante – uma das fontes de inspiração de João Pedro Pais. Seguiu-se “Ciúmes da Lua”, “Uns e outros” (com o primo Fred), “Paciência” e “Laços” (tema escrito para o filho Salvador). João Pedro Pais, emocionado, até citou Pedro (Abrunhosa) que disse que “o homem também chora, quando assim tem de ser”.

O convidado especial, Keith Scott, acompanhou João Pedro Pais em o “Caso Perdido”, “Tudo Bem” e o “Nada de Nada” com um mix de acordes do “Run to You” (de Bryan Adams) que levantou o público das cadeiras. “Thank you very much. I just want to say congratulations to João for the 20th anniversary”.

Com “És do Mundo” recordou Zé Pedro, dividiu o “Não Há” e anunciou o final. Agradeceu à primeira editora que teve a coragem de o editar e à segunda que teve a coragem de continuar o que a primeira começou. “Muito obrigado ao público por estes 20 anos, a vocês, muito obrigado [aplausos] (…). Está na hora, chegámos ao fim”.

“Um volto já” antes do encore que teve cinco temas e a apresentação da banda: Rui Almeida nos teclados, Sérgio Mendes nas guitarras, Fernando Tavares na bateria e Donovan Bettencourt no baixo.

Custódio Castelo e Filipa Cardoso estiveram nos dois primeiros temas do encore: “Respeito” – tema que João Pedro escreveu para Filipa e “Mulheres”. Irrompe o “Conta-me Histórias…” do “Ninguém é de Ninguém”. “Mais Que Uma Vez” e “Passo a Passo” foram os últimos temas, com estórias e agradecimentos entre vigorosos aplausos. Todos de pé.

“(…) também me faz sentido andar por aqui enquanto vocês me fizerem sorrir”.

Leave a Reply

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.