20.000 Léguas Submarinas Convida os Mais Pequenos a Viagem a Bordo do Nautilus

Reportagem de Elsa Furtado
20000leguas_submarinas-023

[dropcap]O [/dropcap]universo visionário de Júlio Verne pode ser agora revisitado aos fins de semana, no Museu de Ciência e História Natural de Lisboa na peça 20.000 Léguas Submarinas, levada à cena pela bYfurcação Teatro.

Um monstro marinho misterioso tem sido avistado por embarcações de diversas nações e a marinha americana organiza finalmente uma expedição para pôr cobra a essa potencial ameaça. O célebre Professor Pierre Aronnax, um reputado biólogo marinho francês, está nesse momento em Nova Iorque e, por ser um dos maiores especialistas na área, é convidado, à última hora, a integrar a expedição.

Este é o ponto de partida para a aventura, que durante cerca de uma hora, miúdos e graúdos são convidados a acompanhar, com algum humor à mistura.

A liderar a expedição vai estar o Professor Aronnax, juntamente com o arpoador canadiano Ned Land, que começa a bordo do navio americano Abraham Lincoln e depois prossegue, na companhia do Capitão Nemo, a bordo do famoso submarino Nautilus, por várias terras e regiões ao longo de 20.000 léguas submarinas.

Em plena época da Revolução Industrial, Júlio Verne conta-nos neste romance a estória de um engenheiro e da sua invenção, que por ser tão avançada para a época é confundido com um monstro marinho.

[satellite auto=on caption=off thumbs=on]

 

Vinte Mil Léguas Submarinas foi publicado pela primeira vez em França, em 1870, e ainda hoje tem muitos pormenores atuais, continuando a fazer as delícias dos mais jovens e dos espíritos aventureiros, inspirando, jogos, filmes e séries de animação. 

A encenação é Ricardo Karitsis, que também adaptou o texto e conta com as interpretações de Ana Lúcia Magalhães, Flávia Ferreira e Mário Abel.

A peça destina-se a maiores de 3 anos, e pode ser vista aos sábados, às 16h00; e aos domingos às 11h00; no Museu Nacional de História Natural e da Ciência. Os bilhetes custam 7 euros e podem ser adquiridos no local, online e locais habituais.

 

Leave a Reply

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.