14ª Edição Do DocLisboa Arranca A 23 De Outubro Com Várias Novidades

O DocLisboa está de regresso para mais uma edição, desta feita a 14ª, que traz algumas novidades e 259 filmes no programa (46 dos quais portugueses, estando 13 deles em competição), e vai a decorrer entre 20 e 30 de outubro, em várias salas de cinema da Capital.

Oleg y Las Raras Artes, do venezuelano Andrés Duque, foi o filme escolhido para abrir o festival, no dia 20, e a fechar, no dia 30, Nos Interstícios da Realidade, de João Monteiro, sobre o realizador português António de Macedo.

Entre as novidades do festival de cinema documental de Lisboa destaca-se a introdução de uma nova secção – “Da Terra à Lua” (que aborda o futuro e pretende dar um panorama sobre o mundo), e que vai incluir filmes como Austerlitz, de Sergei Loznitsa; Between Fences, de Avi Mograbi; Lo and Behold, Reveries of the Connected World, de Werner Herzog; a curta-metragem portuguesa Paris 15/16, de Teresa Villaverde, e a longa metragem Pedra e Cal, de Catarina Alves Costa. As secções competitivas dos programas “Riscos”, “Verdes Anos” e “Heart Beat” mantêm-se.

Outra novidade é a criação do Prémio José Saramago (J. S.), criado em parceria com a Fundação J. S. e com a livraria Lello, para o melhor filme maioritariamente falado em língua portuguesa, e que é transversal a todas as competições.

Para a competição internacional foram selecionados 18 filmes, entre os quais Correspondências, de Rita Azevedo Gomes; na competição portuguesa estão 12 filmes, como por exemplo Cruzeiro Seixas – As Cartas do rei Artur, de Cláudia Rita Oliveira, e O Espectador Espantado, de Edgar Pêra.

Na secção “Cinema de Urgência” destaque para o documentário #Fora Temer, que aborda a atual situação do Brasil.

E na secção “Heart Beat” vão passar filmes como Sons do Gueto, de Tim&Barry, sobre o movimento criativo em torno da editora portuguesa Príncipe Records e ainda O Dia em Que a Música Morreu, de Bruno Ferreira, a partir de uma ideia original dos Linda Martini; Muhammad Ali, the Greatest, de William Klein, França; David Lynch: The Art Life, de Jon Nguyes, Neergaard Holm e Rick Barnes; Having a Cigarette With Álvaro Siza, de Iain Dilthey; entre outros.

A programação inclui ainda a exibição do documentário Por um Cinema Impossível: Documentário e Vanguarda em Cuba, sobre o impacto da produção documental pós-revolução cubana, e uma retrospetiva dedicada ao realizador inglês Peter Watkins, pioneiro do “docudrama” e que virá a Lisboa.

Durante o festival vai ainda ser apresentado o novo projeto da associação Apordoc, intitulado “SCI-DOC”, vocacionado para projetos e filmes de divulgação científica.

O DocLisboa vai ter lugar na Culturgest, no Cinema São Jorge, na Cinemateca, nos Museus Calouste Gulbenkian e Oriente e festas diárias no Palácio do Príncipe Real. Os bilhetes vão estar à venda nos locais nos próprios dias, na Culturgest e online. O bilhete normal avulso custa 4 euros e 3,20 euros para a Cinemateca. Os vouchers
de 5 bilhetes (para sessões diferentes) custam 16 euros, 30 euros para 10 sessões e 55 euros para 20 sessões.

Leave a Reply

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.