Companhia Nacional De Bailado Estreia Carnaval

A Companhia Nacional de Bailado estreia esta quinta-feira, no Teatro Camões, Carnaval – construído a partir de O Carnaval dos Animais, composto em 1886 por Camille Saint-Saëns. Com coreografia e direção de Victor Hugo Pontes, o espetáculo fica em Lisboa até ao dia 26 de junho e apresenta-se no Teatro Municipal do Porto – Rivoli nos dias 1 e 2 de julho.

Sobre o espetáculo, refere Victor Hugo Pontes, em comunicado de imprensa:

Carnaval promove também o encontro de doze compositores portugueses: Sérgio Azevedo, Carlos Caires, Eurico Carrapatoso, Andreia Pinto Correia, Nuno Corte-Real, Pedro Faria Gomes, Mário Laginha, João Madureira, Carlos Marecos, Daniel Schvetz, Luís Tinoco e António Pinho Vargas. Cada um dos compositores convidados inicia a sua composição no final do tema anterior, levando-a até ao tema seguinte. No Carnaval, enquanto manifestação burlesca, há uma clara aproximação às questões mais fundamentais colocadas pelo teatro e pela dança, por exemplo – a máscara, a mentira, o fingimento, a peripécia, a cumplicidade da assistência naquilo que todos sabem ser um jogo. A oscilação entre realidade e farsa é de resto o que sustenta quer um gesto artístico quer um disfarce carnavalesco. Ou, por outro lado, a existência de uma personagem ou de um ser mitológico. É também por isto que Carnaval será povoado por seres imaginários – sereias, a fénix, o fauno –, que no palco terão a mesma dimensão ontológica que os animais da natureza. 

O Carnaval pode ser visto no Teatro Camões nos dias 16, 17, 18, 23, 24,  e 25 de junho às 21h00 e nos dias 19 e 26 de junho às 16h00. Há uma sessão para escolas, a 22 de junho, às 15h00. No Porto, há sessão a 1 de julho às 21h30 e dia 2 às 19h00.

O espetáculo tem duração aproximada de 1h25 e os bilhetes custam entre 5 e 30 euros. Há descontos para menores de 25 anos, maiores de 65, desempregados, grupos, entre outros, e podem ser adquiridos online, no local e outros pontos de venda habituais.

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.