Ignácio de Toledo Está Em Portugal Para Apresentar A Abadia dos Cem Pecados

Ignácio de Toledo, o autor da série o Mercador de Livros Malditos, vai estar A abadia dos 100 pecadosem Portugal a partir de hoje e até dia 9 de março, para apresentar o seu mais recente romance A Abadia dos Cem Pecados, que tem chancela do Clube do Autor.

Este romance é o primeiro volume da mais recente trilogia de Ignácio de Toledo, a Trilogias das Abadias, e tece uma estória de religião, batalhas e alianças numa época marcada por lutas de supremacia política e domínio religioso, na Europa Medieval.

Agosto de 1346. França e Inglaterra estão em guerra. No final da batalha de Grécy, o rei da Boémia, já moribundo, entrega a um cavaleiro francês, Maynard de Rocheblanche, um pergaminho com um misterioso enigma. Este obscuro texto faz referência a uma relíquia preciosa, o Lapis exilii. São muitos os que procuram apoderar-se dele, nomeadamente um ambicioso cardeal de Avinhão e o príncipe Karel do Luxemburgo, ansioso por se fazer coroar imperador.
Para proteger o valioso documento, Maynard será obrigado a fugir. Refugiar-se-á primeiro em Reims, junto da irmã Eudeline, abadessa do convento de Sainte-Balsamie, e depois na abadia de Pomposa. Será aí que encontra o abade Andrea e o jovem pintor Gualtiero de’Bruni, com os quais tentará descobrir a verdade sobre o pergaminho. No entanto, o único que a conhece é um monge de aspeto disforme, que arrebatou o segredo do Lapis exilii de um lugar inacessível, o mosteiro de Mont-Fleur…

Marcello Simoni nasceu em Comacchio, Itália, em 1975, onde vive e trabalha. É licenciado em Letras, trabalha como bibliotecário mas já foi arqueólogo e estreou-se com O Mercador de Livros Malditos.

A Abadia dos Cem Pecados é o seu mais recente romance, tem 366 Páginas e um preço de venda ao público de 17,50 euros.

Marcello Simoni vai apresentar A Abadia no próximo dia 9 de março, pelas 20h30, na FNAC do Chiado, seguindo-se uma sessão de autógrafos.

Texto de Rosa Margarida

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.