16º Festival de Música Al-Mutamid Arranca a 29 de Janeiro em Lagoa

Festival Al-Mutamid Cartazes (1)Arranca já no próximo dia 29 mais uma edição do Festival de Música Al-Mutamid, que homenageia o rei poeta Al-Mutamid do al-Andaluz, que vai passar por Lagoa, Olhão, Albufeira, Silves, Lagos, Loulé e Almada.

Nesta 16ª edição, o festival propõe uma viagem pela civilização Persa através da música e dança do grupo iraniano Yaran Ensemble, pelas culturas do Magrebe e do Médio Oriente também com os grupos Ensemble Alpharabius e Sons d`Al-andalus.

A Al-âla, ou música andalusí, que nasceu em Córdoba no século IX como um testemunho mais do profundo diálogo entre o sul de Espanha e o mundo árabe e norte de África, é um dos protagonistas do festival ao fusionar-se com o flamenco mais tradicional apresentado pelo projeto “Alxaraf Flamenco Andalusí”.

O Ensemble Alpharabius pretende dar a conhecer algumas das jóias da música culta árabe e aproximar o público às composições clássicas de Marrocos, Turquia, Síria e Egito (Samai, Wasla, Moaxaja, Mawals, Taksims…). É composto por Youssef Mezgheldi: kanun (citara árabe), Otman Yacoubi: voz e alaúde árabe, Salah Eddin: darbouka, bendir e riq e Zeina: dança oriental. Eles atuam no dia 29 de janeiro, às 21h30, no Convento de São José em Lagoa.

Os Sons do Al-Andaluz interpretam a fusão de ritmos de al-Andaluz, inspirado nas culturas do Magrebe e do Médio Oriente, em que o refinamento persa – através de Ziryab -, a sobriedade árabe e a jovialidade berbere fundiram-se com a herança hispano-visigoda e a Hebreia para criar no califato e nos reinos taifas uma arte autóctona. Composto por Shahryar Zarrinpanjeh: santur persa, Abdulah: oud, Salah Sabagh: darbouka, tombak, bendir e riq e Lubna Shakti: dança oriental e persa. Atuam no dia 5 de fevereiro, às 21h30, no Auditório Fernando Lopes-Graça em Almada e no dia 6 de fevereiro, às 21h30, no Auditório Municipal de Albufeira.

Os Alxaraf Flamenco Andalusí trazem uma simbiose entre a música andalusí e o flamenco como máximo expoente da música andaluza, combinando novos elementos sem perder a profundidade e espiritualidade de ambas culturas. É composto por Chekara: Violino e cante árabe, Cheito: cante flamenco e cajón, Tino: guitarra flamenca e Luisa Palicio: baile flamenco. Atuam no dia 12 de fevereiro às 21h30, no Teatro Mascarenhas Gregório em Silves, no dia 13 de fevereiro, às 21h30, no  Centro Cultural de Lagos.

Para terminar os Yaran Ensemble é formado por músicos iranianos que interpretam a música clássica persa, folk e também melodias e ritmos místicos e rituais persas com diversos instrumentos de enorme beleza visual e sonora. É composto por Kaveh Sarvarian: Nay, tombak e voz; Pedram Khosravi: percussão e tambur, Babak Kamgar: Oud, sitar, tar e percussão e Lubna Shakti: dança persa. O grupo atua dia 19 de fevereiro, às 21h30, no Cine-Teatro Louletano, em Loulé, e no dia 20 de fevereiro, às 21h30, no Auditório Municipal de Lagoa.

Os bilhetes para os concertos estão à venda nos locais.

Texto de Elsa Furtado

 

Leave a Reply

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.