Viva o Almada, Viva! Pim! – Lisboa celebra 120 anos do nascimento de Almeida Negreiros

centenario_almadaOs 120 anos do nascimento de Almada Negreiros vão ser celebrados até ao final do ano em Lisboa, com uma exposição, uma publicação de ilustrações da sua autoria, bem como com a apresentação de um novo itinerário, com um guia digital, para os “lugares” do escritor e artista plástico.

As comemorações, que vão prolongar-se ao longo de todo o ano, começam no domingo, dia 7 de abril, dia em que se assinalam precisamente os 120 anos do seu nascimento (1893-1970), com o descerramento da primeira placa que integra o novo “Itinerário Almada Negreiros”, no café Martinho da Arcada, em Lisboa, pelas 16h00. Todos os meses, até ao final do ano, será descerrada uma nova placa em locais diferentes, até estar completo o percurso.

Os amantes das artes e os turistas que visitam Lisboa vão poder passar a visitar os lugares de Almada Negreiros, guiados por marcadores especiais digitais, que serão colocados em placas nos principais locais do itinerário, passando a ser possível receber no telemovel ou tablet as informações sobre o local, mapa e a sua obra.

Sob o mote “Viva o Almada, Viva! Pim!”,  ainda para o próximo domingo, pelas 18h00, está agendada a inauguração da exposição coletiva Almada por Se7e, na Galeria de Arte Urbana, na Calçada da Glória, onde será também apresentado o programa completo das comemorações do nascimento de Almada Negreiros.

Também a iniciativa Ler por Todo o Lado, assinala a data no sábado, no Largo do Chiado, pelas 15h00, em que haveráquem sussurre palavras, enquanto outros dirão bem alto os textos de um dos maiores modernistas portugueses.

Às 16h00, na varanda da Paris em Lisboa, vão ouvir-se muitos pins, puns e basta! Pela primeira vez, o Manifesto Anti-Dantas far-se-á soar pela voz de uma mulher, a atriz Paula Mora, do Teatro Nacional D. Maria II, e pelas 17h00, na Pastelaria Benard, está marcada a leitura pública do Manifesto Anti-Leitura, pelo próprio autor, José Fanha. Inspirado na forma e no humor, na transgressão e na provocação, muito ao gosto de Almada.

Além destas iniciativas, em maio será publicada A Maternidade, com texto de Ernesto de Sousa e ilustrações de Almada Negreiros, pela Babel e pela BNP . Entre julho e outubro estará patente na Biblioteca Nacional de Portugal (BNP) uma exposição sobre a obra gráfica de Almada Negreiros.

Texto de Ângela Nobre 

Deixar uma resposta