Violino no Telhado encanta Politeama

Reportagem de Clara Inácio (texto) e Sara Santos (fotos)

Um musical no Politeama, da autoria de Filipe La Féria já é fórmula de sucesso, mas se juntarmos a estes ingredientes a presença de José Raposo e Rita Ribeiro, então temos um êxito garantido, como é o caso de Um Violino no Telhado.

A história, escrita a partir dos contos de Sholom Aleichem, é uma história universal de fé, tradição, família, fraternidade, companheirismo, hierarquia militar, perseguição e solidariedade, e retrata a vivência numa pequena aldeia judia do sul da Rússia, Anatevka, nas vésperas da Revolução de Outubro (de 1917).

No principal personagem masculino temos Tevye, brilhantemente interpretado por José Raposo, um pobre leiteiro, com cinco filhas, duas das quais em idade de casar.

A principal personagem feminina é Gouda, interpretada por Rita Ribeiro que pretende casar as raparigas seguindo a tradição, com um bom partido, que lhes dê uma boa vida, com desafogo financeiro, que toda a vida lhe tem faltado

As filhas vão desafiar a tradição escolhendo cada uma um noivo não tradicional, e seguindo as razões do coração, assim Tzeitel, a filha mais velha escolhe um amigo de infância, Motel, um pobre alfaiate, tímido e gago, que sonha em adquirir uma máquina de costura; Hodel apaixona-se por um jovem estudante de Kiev que chega carregado de ideias novas e “subversivas” e Chava enamora-se de um jovem cossaco, Fyedka, também um amor proibido, pois os cossacos encontravam-se na aldeia para controlar os judeus e não para confraternizar com eles.

No final, cada rapariga escolhe um marido pelo coração em vez dos casamentos arranjados pela casamenteira.

Destaque ainda no elenco para a presença de Joel Branco, Carlos Quintas, Helena Rocha, Hugo Rendas, Sara Cabeleira, Ruben Madureira, Sissi Martins, Carlos Meireles, Cátia Garcia, Jorge Sousa Costa, Jonas Cardoso, Filipe Albuquerque, André Lacerda, Rogério Costa, Jonas Paquete, entre outros. Integram também o corpo de baile, bailarinos ucranianos no papel de cossacos.

A peça está em cena no Teatro Politeama, em Lisboa, até 8 de Outubro de 2011, depois do grande sucesso alcançado no Teatro Rivoli no Porto, e o preço dos bilhetes varia entre os 15 euros e os 35 euros.

Deixar uma resposta