Vinte anos depois os Sétima Legião regressaram ao Festival do Crato

 Reportagem Vânia Marecos (texto e fotos)

Mais uma noite de animação estava à nossa espera no Festival do Crato, é sexta-feira e muitos aproveitam para dar uma volta pelas tasquinhas antes dos espetáculos, beneficiando das excelentes ofertas gastronómicas da região.

O primeiro concerto da noite, mais uma vez, recai sobre uma banda local de Portalege, Grupetto. Um trio de contrabaixo, saxofone e guitarra, que juntam os ritmos da Bossa Nova ao Jazz, e que neste concerto contaram ainda com percussão e com a voz de Paula Fernandes.

A festa continuou com A Naifa, e com a voz poderosa e particular de Maria Antónia Mendes. Uma sonoridade diferente, mas marcante, de um novo estilo de música que se inspira nas raízes da música tradicional Portuguesa. No final, em apoteose, o tema “Señoritas” a que se seguiu, a pedido do público, uma reinterpretação da “Desfolhada Portuguesa”, de Simone de Oliveira.

E eis que surge um dos momentos mais aguardados na noite, a entrada em palco dos Sétima Legião que regressam ao Crato 20 anos depois. No alinhamento não faltam os êxitos de outros tempos que ainda hoje estão bem na memória de todos e que foram cantados como se o tempo não tivesse passado. “ Noutro Lugar” “Por quem não esqueci” ou “Sete Mares” foram os melhores momentos da noite, este último repetido no final.

A encerrar a noite, e como habitual, o after hours, desta vez com o DJ Zé Pedro dos Xutos e Pontapés.

Deixar uma resposta