Vinhos que marcam um final de Verão – o "Pink" está na moda

Para os apreciadores de vinho, que gostam de estar a par de todas as novidades, o C&H apresenta-lhe aqui algumas sugestões do  néctar divino, que podem ser degustados não só  à refeição como também num final de tarde, com destaque para os “Pink” ou Rosés.

pocas_pink

O Poças Pink é uma das novidades do Verão de 2009, lançado recentemente pela empresa Poças – Vinhos do Porto & Douro. Este produto é um Vinho do Porto rosé, suave e muito frutado, para beber fresco ou com gelo, este vinho é considerado ideal para acompanhar canapés, sobremesas geladas e fruta variada. É apresentado numa garrafa de 50 cl com design moderno e que deixa transparecer o líquido rosado.

O processo de produção do Pink é idêntico ao de produção de um vinho do Porto Ruby, a diferença está na redução do período de maceração (contacto das películas das uvas, onde se armazena a matéria corante, com o líquido) resultando numa cor rosada por oposição ao vermelho carregado de um Ruby.

O Poças Pink está já  a ser comercializado na Holanda, estando previsto para breve a comercialização em Portugal, Angola, Brasil, Dinamarca, Estados Unidos e Canadá.

Notas de Prova

Cor: Rosé
Aroma: Muito agradável e frutado, com notas de cereja e framboesa.
Paladar: Fresco, suave, leve e muito frutado.
Teor de Álcool: 19,59

Brancos e Rosés de Mesa

Depois de já ter sido considerada apenas mais uma bebida doce e até um pouco deselegante, o vinho rosé é agora a bebida da moda, servida em almoços familiares, festas e jantares. Desta forma,era obrigatório destacar as novidades neste tipo de vinhos. E falarmos de rosé é falarmos, obrigatoriamente, de Mateus Rosé, eleito pelos consumidores como “Sabor do Ano 2008”.

RMateus Rose Aragones 2008ecentemente, esta marca, da Sogrape Vinhos, viu o seu recém lançado Mateus Rosé Aragonês 2008 ser distinguido com medalha de Ouro no prestigiado concurso internacional Le Mondial du Rose.

Este vinho monocasta está  já disponível na colheita de 2008 e continua leve, refrescante e muito agradável de saborear a qualquer hora do dia. Produzido exclusivamente a partir de uma casta nobre portuguesa, apresenta uma atractiva cor rosé salmão e um aroma fresco e floral, com notas de jasmim e morango. Na boca mostra-se leve, com um bom equilíbrio de acidez e doçura, corpo suave e ao mesmo tempo vivo e rico em fruta vermelha.

Miguel Pessanha, director de enologia da Sogrape Vinhos e responsável directo pelos vinhos da gama Mateus, classifica o Mateus Rosé Aragonês 2008 “como uma excelente opção para aperitivo ou para acompanhar pratos que combinem com a sua leveza e frescura, como peixe, carnesQuinta_de_Cidro_rose brancas, churrascos ou saladas”.

A Real Companhia Velha apresenta neste final de Verão, o Quinta de Cidrô Rosé, produzido num local privilegiado, na zona de S. João da Pesqueira. Com a frescura dos frutos vermelhos, este vinho seco e elegante, é perfeito para acompanhar refeições leves, como pratos de peixe, saladas ou carnes brancas, podendo também ser degustado como aperitivo.

Kopke Reserva branco 2008Nos brancos, a nossa primeira sugestão recai sobre a marca Kopke (da Sogevinus Fine Wines), que apresenta um Kopke Reserva Branco 2008. Produzido a partir de castas brancas tradicionais do Douro, provenientes de vinhas de elevada altitude, este vinho apresenta aromas minerais, combinados com um intenso sabor frutado, deixando sobressair algumas notas florais e nuances de tosta fina.
A boca é rica, quente e envolvente, denunciando as notas de fruta e mineralidade. Ideal para acompanhar peixes gordos assados, bacalhau e carnes gordas.

O carácter Premium deste vinho não é compatível com grandes volumes, sendo que a sua produção não ultrapassa as 8.600 garrafas. O Kopke Reserva Vinho Branco encontra-se disponível nas melhores garrafeiras nacionais e no El Corte Inglês, com um preço de venda ao público recomendado de 10,50 euros.

Notas de Prova
Nariz com uma excelente presença aromática, com notas de madeira muito bem integradas deixando surgir a fruta e a mineralidade. Na boca é sólido, encorpado, cremoso, com uma excelente acidez, conjugando tudo isto com uma grande elegância e persistência.
Teor de Álcool: 13,00

coroadourobranco2008A colheita de 2008 do Coroa D’Ouro Branco, da Poças, também já está disponível no mercado. É um vinho fresco e elegante, oriundo de vinhas situadas a altitudes de 400 a 600 metros. O clima ameno e fresco que se registou em 2008 conduziu à lenta e gradual maturação das uvas, condições consideradas favoráveis à conservação da acidez e aroma das uvas.

Produzido a partir de castas tradicionais da Região Demarcada do Douro, segundo os enólogos Jorge Pintão e Luís Rodrigues, o Coroa D’Ouro Branco 2008 deve ser servido à  temperatura de 14 ºC, sendo ideal para acompanhar entradas, saladas e pratos variados de peixe e de marisco.

Este vinho encontra-se à  venda no Intermarché, no El Corte Inglés, nos supermercados Apolónia (Algarve), nos hipermercados Continente (Setembro, Feira de Vinhos) e em garrafeiras de Norte a Sul do país.

Notas de Prova

Cor: Branco Pálido
Aroma: Frutado e elegante, com nuances de frutos tropicais
Paladar: Leve e fresco com final agradável e persistente
Teor de Álcool: 13,24

Quinta_dos_Carvalhais_Duque_de_Viseu 2008A Quinta dos Carvalhais Duque de Viseu, da Sogrape Vinhos,  também traz novidades, ao apresentar-se numa nova garrafa, mais elegante, com um rótulo em tons de preto e dourado.

A mudança deste vinho pode ser apreciada na nova colheita de Quinta dos Carvalhais Duque de Viseu branco 2008, já disponível no mercado nacional, e será também visível na colheita de 2007 de Quinta dos Carvalhais Duque de Viseu tinto, a ser lançado ainda durante este ano.

“Com uma bonita cor amarelo citrino, Duque de Viseu branco 2008 acompanha muito bem peixe, marisco, saladas, massas e todo o tipo de aves, e funciona também como aperitivo. Ao provar Quinta dos Carvalhais Duque de Viseu branco 2008 podem sentir-se aromas florais e a fruta madura a conjugarem-se com aromas minerais que conferem frescura ao vinho, uma das principais características dos bons vinhos brancos do Dão”, refere Manuel Vieira, enólogo responsável pelos vinhos da marca Quinta dos Carvalhais.

Por Cristina Alves

Notas de Prova

Cor: Branco Pálido
Aroma: Frutado e elegante, com nuances de frutos tropicais
Paladar: Leve e fresco com final agradável e persistente
Teor de Álcool: 13,24

Deixar uma resposta