Vidago Palace: um local de encantar

Reportagem (texto e fotos) de Elsa Furtado

Cem anos passaram desde a sua abertura, e o Vidago Palace Hotel continua a encantar quem o visita, pela sua beleza, requinte, sensação de bem estar e simpatia de quem lá trabalha. Com um ambiente requintado e glorioso, este hotel “escondido” na região de Trás-os-Montes impressiona logo ao primeiro olhar.

Um imponente edifício cor-de-rosa, rodeado de verde por todos os lados é o primeiro vislumbre do visitante quando chega ao portão, com uma vista que dá vontade de ficar parado a contemplar, como se de um quadro se tratasse.

Reaberto no verão, depois de quatro anos fechado para obras, o hotel, propriedade da Unicer, regressou à sua actividade original devagarinho, tendo a inauguração oficial ocorrido só a 6 de Outubro, por ocasião do Centenário da República, também ela sua contemporânea.

Neste novo hotel existem 70 quartos e suites, distribuídos por quatro pisos, todos eles com uma decoração personalizada e moderna, e com casa de banho privativa. Aqui, as banheiras, as torneiras, os lavatórios, com um design revivalista chamam à atenção do visitante, criando a sensação de estarmos numa época diferente, cheia de glamour e de charme.

Nos quartos, o destaque vai para as camas fofas e convidativas, e para os modernos Lcds que dão as boas vindas aos hóspedes, aquando a sua chegada aos quartos.

Nas áreas comuns, como no lobby, no bar, na sala de charutos, no salão, e corredores, os ferros trabalhados, os candeeiros Arte Nova, os azulejos de motivos naturalistas, as estátuas de bronze e as peças de “prata” são complementados com algumas peças de estilo árabe e de design.

Na sala de pequenos-almoços, o estilo arte-nova, os tons claros e a imensa luz que entra pelas janelas dão os bons dias a quem lá vai e abre o apetite para uma refeição saborosa e diversificada.

Pão de centeio, de mistura, croissants e brioches em miniatura, doces, crepes e gauffres feitos no momento, compotas e molho de chocolate, ovos mexidos, salsichas, enchidos, salmão, queijo fresco, sumos naturais e chá frio, iogurtes, cereais, leite, café, e chá são as opções para o repasto matinal.

Depois do pequeno-almoço, as propostas são muitas: um passeio pelo esplendoroso Parque de Vidago, até à fonte termal nº1, onde ainda é possível beber a água; um jogo de golfe, no “novo” campo de 18 buracos de Vidago; ou então quem sabe, uma ida ao novíssimo Spa do hotel, da autoria de Siza Vieira, e que dispõe de tratamentos com água mineral Vidago, uma piscina interior e uma exterior, tal como um convidativo jacuzzi exterior, com vista para o parque.

Depois de tanto andar e passear, é possível desfrutar dos vários espaços gastronómicos do parque.

No Club House, instalado num edifício de 1886, as refeições são mais ligeiras, apostando numa carta à base de saladas, sanduíches e massas, com algumas semelhanças à do restaurante do Spa, para refeições mais requintadas, a sugestão é uma ida até ao restaurante do hotel, que aposta na cozinha mediterrânica e nos produtos nacionais, e onde é possível admirar os magníficos candeeiros do princípio do século XX. Para terminar o dia, uma ida até ao bar, à sala de charutos ou à sala de jogos, a oferta é variada.

Em Vidago, parece que o tempo demora a passar, e quando chega a hora de ir embora, a vontade é pouca ou nenhuma, tão bem nos sentimos aqui, neste recanto escondido de Portugal, em que a beleza da paisagem, a riqueza da história e a qualidade da gastronomia estão ligadas numa sintonia perfeita, que encanta quem cá vem.

Deixar uma resposta