Uma extraordinária viagem ao mundo de Alice a partir de hoje nos cinemas

Um típico jardim inglês, cheio de elementos da alta sociedade londrina reúnem-se para uma festa que pretende celebrar o noivado da jovem Alice Kingsleigh e do jovem aristocrata Hamish.
Todos os familiares e amigos estão reunidos, bem vestidos, muito tradicionais e muito formais para ouvirem o tão esperado sim da jovem, mas eis que de repente e para surpresa de todos, Alice abandona a festa, sem responder, atrás de um misterioso coelho branco.
Durante a perseguição pelo jardim, o coelho desaparece dentro de um buraco no solo, a jovem curiosa, debruça-se sobre ele para tentar ver para onde foi o estranho personagem e cai pelo buraco dentro, numa queda vertiginosa e sem fim à vista, dando início a uma fantástica aventura.

É assim, que começa o novo filme de Tim Burton, Alice no País das Maravilhas, inspirado na obra de Lewis Caroll Alice, do Outro Lado do Espelho, publicada em 1872, que nos leva de volta ao mundo da menina loura, de vestido azul e avental branco, mas desta vez crescida e sem lembranças do “País das Maravilhas”, num universo onde é tudo ao contrário.

Muito diferente do original, a versão de Tim Burton leva o espectador para um novo universo, em que o medo, a mentira, a flasidade e a destruição imperam, tudo contado em 3D, uma técnica o que faz o espectador sentir que também está a cair pelo buraco, levar com ramos na cara ou ver flores a crescerem. Neste filme tudo é fantástico, tudo é mágico e tudo é estranhamente familiar. Nesta luta entre o bem e o mal, entre o branco e o preto , ou será vermelho, tudo vale a pena.

Mia Wasikowska interpreta a jovem Alice de 19 anos, que na demanda para derrotar o mal vai também descobrir-se a si própria e às memórias adormecidas, Johnny Depp é o exótico e louco chapeleiro, Helena Bonham Carter é a “cabeçuda” e tirana rainha vermelha e Anne Hathaway é a “fria” e “serena” rainha branca, actores perfeitos nas suas interpretações, nesta visão de Tim Burton.

Entre os restantes personagens, destaque para Matt Lucas que interpreta os divertidos Tweedledee e Tweedledum, Stephen Fry – o irreverente Gato que ri, Michael Sheen é o assustado Coelho Branco e Alan Rickman é a sábia lagarta azul, entre tantos outros, reais ou imaginados, caracterizados ou animados, de forma tão perfeita, que quase parecem reais.

Completa este fantástico filme, com produção da Disney, a banda sonora, em que se destaca “Alice” de Avril Lavine.

O filme chega hoje às salas de cinema portuguesas (uma semana depois da grande ante- estreia em Londres) e promete fazer as delícias de graúdos e … graúdos. A não perder.

Por Elsa Furtado
Imagens Disney Pictures

Deixar uma resposta