Uma década de Serralves em Festa

Reportagem de Sandra Mesquita (texto), Catarina Costa, Tânia Fernandes e António Silva (fotos)

serralves_11No passado fim-de-semana, a Fundação Serralves abriu portas para a 10º edição do Serralves em Festa. Considerado o maior do país e um dos maiores do mundo, o Festival de Arte Contemporânea contou com mais de duas dezenas de espetáculos gratuitos durante 40 horas seguidas. Música, dança, circo, teatro, marionetas e exposições foram algumas das atividades que levaram milhares de visitantes ao Serralves, apesar da chuva que chegou a ameaçar a festa.

Num evento onde, todos os anos, arte e natureza caminham de mãos dadas pelos vários hectares dos jardins da fundação, a décima edição contou, como é habitual, com diversas atividades espalhadas um pouco por todo o parque.

A performance Bodies In Urban Spaces, do austríaco Willi Dorner, surpreendeu os visitantes numa abordagem entre o corpo e o espaço: artistas em cima de árvores ou em posições fora do comum, como se de esculturas humanas se tratassem, reuniram vários visitantes à sua volta sempre que se apresentaram pelo parque.

serralves_23Já no teatro de rua, os Imaginary Friends, co-criação das companhias Whalley Range All Stars e Babok, trouxeram um grupo de atores acompanhados dos seus duplos em tamanho real, num passeio com cantorias e até um piquenique “improvisado” a partir de objetos retirados dos corpos dos bonecos forrados a serapilheira.

Por sua vez, o circo contemporâneo Slips Inside, do duo belga Okidok, apresentou personagens desajeitadas, e em cuecas, num espetáculo de sátira social que juntou acrobacia, mímica, dança e poesia. Experience #1, da coreógrafa alemã Isabelle Schad, explorou a dança contemporânea numa peça concebida em três semanas no auditório da fundação.

A festa no Serralves também se fez ao som de diferentes estilos musicais desde o Jazz da WDR Big Band, passando pelos showcases das editoras portuguesas PAD, Lovers & Lollypops, Terrain Ahead e Monster Jinx. Dos pontos altos da programação musical fizeram parte nomes como King Midas Sound, Diamond Version e Pachanga Boys.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Para os mais pequenos, a oferta incluiu jogos, trabalhos manuais e até uma rádio experimental : a oficina Rádio Kit Primeira Vez deu aos visitantes de palmo e meio a oportunidade de conhecerem o mundo da rádio e de realizarem entrevistas, vox-pops, reportagens e diretos a partir do local.

O encerramento desta edição do evento, que pelo décimo ano consecutivo invade a cidade com as mais variadas formas de expressão artística, ficou a cargo dos Dirty Honkers numa junção de hip-hop, swing e electro.

Junho é sinónimo de Serralves em Festa e esta 10º edição foi a prova disso mesmo: faça chuva, ou faça sol, o festival já faz parte da tradição de famílias de todo o país que, todos os anos, assistem aos espetáculos nos jardins da fundação.

 

Deixar uma resposta