Turquia: Um banho de Cultura, Paisagem e Emoção

Reportagem de Ângela Nobre
 

Capadocia_De_Balao00[dropcap]A[/dropcap]s cadeias montanhosas, vales verdes e planícies turcas “competem” com a grandiosidade de monumentos construídos pela mão humana desde muito antes do tempo dos sultões até perto dos nossos dias. Da Capadócia à Costa Mediterrânica, a começar pelo lado europeu de Istambul, a Turquia revela-se hoje um verdadeiro “museu ao ar livre”.

Milhares de anos de história, culturas e civilizações são (re)visitados numa semana intensa de viagem, que começa pela única cidade intercontinental do mundo – Istambul -, atravessa cadeias montanhosas e planícies, para levar a descobrir os vestígios das comunidades cristãs escavados nas rochas da Capadócia e terminar com as ruínas romanas de Perge, junto à cidade de Antalya, no sul da Turquia.

Com muito mais para oferecer do que os destinos mais conhecidos como os resorts no mediterrâneo, a Turquia é um país repleto de paisagens naturais invejáveis, mas também de uma cultura rica, para a qual contribuíu a passagem de vários povos e civilizações.

O operador Solférias* lançou recentemente novos circuitos na Turquia que permitem conhecer parte da história, monumentos, culturas, paisagens entre várias regiões numa só semana, a partir de 814 euros, uma agradável sugestão para as suas férias.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Istambul: Cidade intercontinental

Com vários monumentos classificados pela Unesco como Património Mundial, a zona histórica de Istambul recebe-nos com a azáfama esperada de uma cidade que é visitada diariamente por milhares de turistas oriundos de vários pontos do mundo.

Os monumentos daquela zona, com a sua imponência arquitetónica inerente, dão as boas-vindas aos visitantes que por ali começam a descobrir a Turquia. São ícones da cidade outrora chamada de Constantinopla, como a Mesquita Azul, a única no mundo com  seis minaretes, que abre as portas aos turistas fora dos momentos de culto.

Mesmo em frente, a Basílica de Santa Sofia – ou Museu Hagia Sophia -, reconstruída com diferentes arquiteturas por três vezes ao longo dos tempos, é outra testemunha de mais de 1500 anos de história, recheada de arte sacra, tendo chegado a ser convertida em mesquita por volta do século XV.

A poucos passos de distância está o Palácio Topkapi, erguido logo após a conquista de Constantinopla por Mehmet II, em 1453, que guarda ainda hoje tesouros das gerações de sultões – como um berço de ouro, jóias, tronos, vestes ou peças de valor difícil de calcular ornamentadas com pedras preciosas -, que ali mantiveram a sua residência durante cerca de três séculos.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Após uma “aula intensa” sobre a história turca, andar pelas ruas de Istambul traz-nos de volta ao presente e permite perceber melhor o quotidiano da cidade. O caminho até ao próximo ponto a visitar – o Grande Bazar – faz-se fácil e rapidamente a pé.

No “Grande Bazar”, um dos maiores mercados cobertos do mundo, onde há cerca de 5 mil lojas e 60 ruas, é fácil perder-se. O difícil mesmo é manter a carteira fechada. Tapeçarias, lenços coloridos, conjuntos de chás, especiarias, cerâmicas, candeeiros, castiçais, calçado e joalharia são apenas alguns dos artigos que se encontram.

É esta a última paragem na cidade, antes de descansar e voltar a fazer as malas, para continuar viagem, rumo ao sul.

Pelo caminho em direção à Capadócia, com centenas de quilómetros percorridos, todos feitos de autocarro, atravessam-se vales e planícies verdes, entre cadeias montanhosas coroadas pelo branco da neve. Ainda antes de chegar ao destino final, uma paragem em Ancara para conhecer o Mausoléu de Atatürk, um monumento erguido no século passado, com museu integrado, uma visita fundamental para entender a história recente do país, bem como o papel deste homem, cara da implantação da República, em 1923.

Capadócia: Das paisagens deslumbrantes  e do cristianismo

É na Turquia, país que tem hoje o islamismo como religião predominante entre a esmagadora maioria da população, que se encontra uma boa parte da história do cristianismo, com vestígios riquíssimos de igrejas rupestres escavadas nas rochas de tufo vulcânico da zona da Capadócia.

Datam do século IV as primeiras igrejas e mosteiros rupestres construídos nos vales de Goreme, hoje transformado num museu ao ar livre, onde é possível ainda visitar as estruturas, ver as pinturas, altares e espaços comuns criados pelas comunidades cristãs que começaram a proliferar na região a partir daquela altura.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Além destas, na mema zona há também impressionantes cidades subterrâneas visitáveis, como a de Kaymakli, construídas com vários patamares, divisões e corredores de ligação, incluindo com tuneis de ventilação que garantiam a circulação do ar. Embora não tenham sido construídas originalmente pelas comunidades cristãs, acabaram por ser também ocupadas por elas, na tentativa de se resguardarem e protegerem.

A par destes impressionantes monumentos históricos, a região tem uma paisagem única que deslumbra o olhar dos turistas, com formações rochosas curiosas de origem vulcânica, esculpidas pela natureza. O balão tem sido uma das formas mais popularizada nos últimos anos para ver com maior abrangência a paisagem. Todas as madrugadas, desfilam possivelmente mais de cem balões coloridos pelos ares, para levar os turistas a sobrevoar a região.

Antalya: Com o mar mediterrâneo à vista

Conforme nos aproximamos no mediterrâneo, também as temperaturas sobem. Antalya é mais conhecida pelos resorts, com mais de 500 hoteis na região, e pelo turismo de sol e praia. Mas é também mais do que isso.

Bem próximo, a cerca de 15 quilómetros estão as ruínas romanas de Perge, com vestígios de quase todas as áreas da cidade, do Ágora aos banhos, com ruas construídas com passeios e colunas, um sistema de canais de água para refrescar, e incluindo ainda, à entrada da localidade, um estádio olímpico que mantém até hoje uma boa parte das bancadas, bem como, muito próximo, um teatro com 10 mil lugares.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Atravessar milhares de anos de história, diferentes culturas e civilizações e ainda paisagens únicas em poucos dias é, sem dúvida, uma experiência intensa, mas que permite perceber a diversidade natural e cultural que a terra das tulipas, do kebab, dos tapetes de seda e também de São Nicolau (entre muitas outras coisas) tem para oferecer.

*O C&H viajou a convite da Solférias. Os novos circuitos foram preparados antes do início dos protestos e manifestações que ocorreram recentemente. Antes de viajar, procure informar-se do desenvolvimento dos acontecimentos junto do seu agente de viagens, dos órgãos de comunicação social e/ou das entidades oficiais.

Deixar uma resposta