Tunísia: Entre a Civilização e o Deserto do Saara


Em época de férias de Páscoa porque não uma escapadinha até à Tunísia, centro de várias civilizações, resultado dos três mil anos de História,e dona de uma herança cultural e de belezas naturais, milenares.

Dos museus, às ruínas arqueológicas, passando pelos teatros, palácios, mesquitas e medinas, spas e termas, a Túnisia tem de tudo um pouco para atrair os visitantes, sem esquecer é claro, quilómetros de praias desafogadas e de água quente, com palmeiras por perto para sombra.

Uma visita à Tunísia pode demorar poucos dias, ou várias semanas, depende do tempo que cada um pode dispor, mas seja qual for o caso as opções de visita são muitas.

Em Tunes, a capital movimentada e que mistura a influência ocidental com a árabe temos várias avenidas, entre as quais se destaca a avenida Habib Bourguiba, repleta de cafés e esplanadas, ao melhor estilo parisiense. De um lado prédios modernos de estilo ocidental, do outro a Medina, cheia de lojas de produtos típicos e vendedores que nos tentam cativar com os seus produtos e aromas.

E entre ruas e ruelas, prédios antigos e modernos, fica o Museu do Bardo, famoso pela sua colecção de ladrilhos romanos. Aqui, nesta cidade, em tempos dominada pelos franceses a bebida é o café expresso.

Mas outras cidades conquistam e atraem visitantes, Monastir, Hammamet, na zona das praias, o deserto do Sahara, onde se pode fazer um passeio de dromedário ou de jeep, e ir até ao cenário da Guerra das Estrelas. Em Matmata, as casas trogloditas permanecem fiéis à sua origem berber.

Tozeur, Sousse, Port El Kantaoui com as suas casas brancas e azuis, junto ao mar, e Sidi Bou Said são outras das pequenas mas atraentes cidades deste país. Aqui, um chá de menta com pinhão dá as boas vindas aos visitantes e as gaiolas de madeira brancas e azuis são uma das recordações típicas.

Para quem gosta de História, uma visita a Cartago é obrigatória, com as suas ruínas e museu arqueológico, também o monumental anfiteatrto romano El Jem, as Medinas de Sousse e de Kairouan, Dougga e o Parque Natural  de Ilchkeul são sítios a não deixar de visitar.

Mas a Tunísia tem muitos mais monumentos e museus para conhecer, que contam a história do país, desde a antiguidade aos tempos de hoje, teatros e centros de espectáculos, modernos e tradicionais e muitas grutas cheias de segredos para descobrir

Os oásis de tamareiras e as salinas de sal rosa, azul e verde, são outras das belezas naturais deste país, de gente simples, mas acolhedora que vale a pena descobrir, ao som da música tradicional e com um chá de menta na mão.

Informações Práticas

A viagem dura cerca de duas horas de avião, de Lisboa para Tunis, em voo directo Tunisair.

A moeda é o dinar tunisino – TND, 1 euro equivale a 1,887 TND (aproximadamente).

A diferença horária é de mais uma hora.

A língua oficial é o árabe, mas também se fala o francês e inglês.

Texto e Fotos de Elsa Furtado

1 Comentário

Deixar uma resposta