Termas do Luso reabrem com “novo sopro” de saúde com a inauguração da Malo Clinic Spa Luso

Depois de terem estado encerradas durante oito meses, as Termas de Luso, surgem com um “novo sopro de saúde” através da parceria criada entre a Malo Group e a Sociedade Águas do Luso que deu origem ao Malo Clinic Spa Luso.

O complexo termal inaugurou a primeira fase de requalificação e ampliação correspondente à valência de termalismo clássico mas que está associado a um conjunto alargado de outros serviços e especialidades e traz como novidade a abertura durante todo o ano, em vez dos habituais seis meses correspondentes à temporada.

A segunda e terceira fase, que compreendem o SPA termal e o Medical Center, irão abrir no Verão começando primeiro em que será oferecido um conjunto de terapias que é habitual encontrar neste tipo de infra-estruturas, como são as massagens, tratamentos de termo-cosmética feitos com água do luso.

Antes

e o Depois do Buvete Termal


O Medical Center, a última fase do projecto a abrir, será um centro de reabilitação cardíaca e de saúde.

Todos os tratamentos são feitos com a água do luso cujas propriedades terapêuticas actuam nas afecções crónicas do aparelho reno-urinário, hipertensão arterial, perturbações do metabolismo, afecções respiratórias crónicas, reumatismos, perturbações do aparelho locomotor ou patologia dérmica.

Entre os tratamentos médicos que a Malo Clinic SPA Luso realiza está a hidropinia (ingestão de águas), a crenoterapia (hidromassagem) ou a ventiloterapia (no emanatório, que está situado sobre a nascente termal e hermeticamente fechado, onde os clientes poderão inspirar os gases emanados pela nascente, sendo indicada entre outros, para problemas de hipertensão e perturbações do sistema nervoso central), passando ainda pela mecanoterapia que faz a reabilitação e reeducação de movimentos através da realização de exercícios utilizando aparelhos mecânicos específicos.

Por Antónia Barroso
Fotos do Malo Clinic SPA Luso gentilmente cedidas pela empresa
Fotos das Termas antes das obras de Elsa Furtado

Deixar uma resposta