Tentativas Para Matar O Amor Estreia Hoje No Teatro Aberto

Por Tânia Fernandes (Texto e Fotos)

Tentativas para Matar o Amor

Tentativas para Matar o Amor, estreia esta sexta-feira, na Sala Vermelha do Teatro Aberto. O texto da peça é de Marta Figueiredo e venceu o Grande Prémio de Teatro Português SPAutores/Teatro Aberto 2015. É agora apresentado numa co-produção entre o Teatro Aberto e a Companhia Mascarenhas-Martins.

O amor atravessa esta peça, numa trança de monólogos. Em palco, estão três personagens: a Ana, o Jaime e o Manuel, que nos trazem memórias, que vão ser complementadas por vídeos que correm nos diferentes ecrãs. O que nos contam vai-se encaixando na narrativa que cada espetador quiser fazer desta história. E é complementada com a informação que não é dita, mas que recolhemos das imagens em movimento. Recolhemos fragmentos e ideias, muito atuais e muito direcionadas ao quotidiano de todos nós, o que faz com que o público se identifique com o texto.

Ana e Jaime conhecem-se há mais de dez anos. Amam-se mas não estão juntos. As suas vidas não combinam, não encaixam. Tentam então matar o amor. Sem amor as suas vidas tornar-se-iam certamente mais eficientes, mais adequadas às exigências do quotidiano. Porém, entre viagens, trabalho, contas por pagar, rendas, recordações, encontros e desencontros, o que sentem um pelo outro teima em voltar a despontar.
Tentativas Para Matar O Amor retrata uma relação que tem dificuldade em sobreviver à vida contemporânea. Uma das questões centrais com que nos confronta deve ser pensada e sentida numa dimensão política: será que o mundo que criámos não contempla espaço nem tempo para o amor?

Levi Martins, que partilha a dramaturgia e encenação com Maria Mascarenhas, explica-nos que este foi “um convite muito generoso da parte do Teatro Aberto, feito a esta Companhia tão recente”. A Companhia Mascarenhas-Martins celebrou em janeiro deste ano o primeiro ano de atividade e só tinha trabalhado, até à data, textos próprios. “Achamos que este texto é muito atual, jovem e próximo desta geração e por isso fazia todo o sentido em trabalhá-lo”.

O texto é interpretado por Cleia Almeida, Eurico Lopes e Tomás Alves e os figurinos são de Dino Alves. Tentativas para Matar o Amor pode ser vista de quarta-feira a sábado, às 21h30 e aos domingos às 16h00. Os bilhetes encontram-se à venda no local e nos locais habituais e custam 15 euros. Há descontos para jovens, até aos 25 anos (7,5 euros) e séniores (12 euros).

Deixar uma resposta