Teatro da Trindade regressa ao roteiro lisboeta a 13 de Junho

trindade_4548O Teatro da Trindade reabre as portas já a 13 de junho, dia de Santo António, após oito meses de obras de remodelação e beneficiação com o musical Esta Vida é Uma Cantiga, fazendo assim jus ao seu carácter de teatro popular.

Esta Vida é Uma Cantiga, de Henrique Feist e Vítor Pavão dos Santos, faz honras da reabertura. Homenagem aos 150 anos da Revista à Portuguesa, o musical que foi buscar o título ao verso inicial de uma célebre canção da revista “O Dia da Espiga”, estreada em 1929 promete fazer o Fado rimar com o ritmo da Broadway. Henrique Feist, FF, Anabela e Wanda Stwart compõem o elenco de luxo, a que se juntam duas grandes senhoras da Revista: Simone de Oliveira e Anita Guerreiro. Henrique Feist tem a seu cargo a direcção artística, a direcção musical e os arranjos, esses foram entregues a Nuno Feist.

A peça está em cena até 16 de Junho, de quinta a sábado às 21h30, e domingo às 16h00.

Os alfacinhas – e não só – irão embarcar nesta viagem pelas cantigas de sempre numa plateia e a um 1º balcão renovados. De destacar são ainda os novos acessos diretos à sala de espetáculos para pessoas com mobilidade reduzida e um novo sistema de climatização da sala principal. Para além de mais cómodo e acessível, o Trindade estará mais seguro graças à implementação de medidas contra incêndios.

O Teatro da Trindade, nascido da iniciativa do empresário e intelectual Francisco Palha, foi inaugurado a 30 de novembro de 1867, com a família real a marcar presença na gala. Desde então, tem sido palco de eventos marcantes como a apresentação do fonógrafo de Edison, a estreia do pianista Viana da Mota ou a exibição de Quo Vadis, a superprodução – à época, estávamos em 1912 – de Enrico Guazzoni. E longa é a lista de atores nacionais que pisaram as suas tábuas. Beatriz Costa, António Silva e Palmira Bastos são apenas alguns de uma lista infindável de estrelas.

Mais do que um espaço, o Trindade é um pedaço da história da cultura nacional e de Lisboa, que passados 140 anos renasce para animar a vida da cidade. Agora que já sabe tudo isto, diga lá qual é a desculpa para não ir ao teatro …

Texto de Alexandra Gil
Foto arquivo C&H

 

 

Deixar uma resposta