Teatro D. Maria apresenta A Flauta Mágica de Mozart em marionetas

Integrado na 11.ª edição do FIMFA – Festival Internacional de Marionetas e Formas Animadas o Teatro Nacional D. Maria II apresenta, nos dias 3 e 4 de Junho, pelas 21h30, na Sala Garrett, A Flauta Mágica, numa original versão da ópera de Mozart, com marionetas, contratenor e orquestra ao vivo.

O texto é baseado no libreto de Emanuel Schikaneder, com encenação e actores-manipuladores Tristan Vogt e Joachim Torbahn, o contratenor é Daniel Gloger, a orquestra ensemble Kontraste, as marionetas e cenografia de Joachim Torbahn, música de Wolfgang Amadeus Mozart, com arranjo musical de Marcus Maria Reißenberger, técnica Marionetas de Luva e Projecções, co-produção de Thalias Kompagnons, ensemble Kontraste & Tafelhallenurnberg. É cantado em alemão, legendado em português. É para maiores de 12 anos.

As marionetas são inspiradas nas pinturas e marionetas de Paul Klee. Esta produção tem a particularidade de a acção horizontal das marionetas de luva ser projectada, através de câmaras de vídeo, para um ecrã gigante localizado por cima do palco. A história do Príncipe Tamino, da sua amada Pamina, da quase louca Rainha da Noite e do sacerdote Sarastro vai sendo revelada em diferentes patamares.

Esta produção ganhou vários prémios e têm sido convidados a apresentarem-se na Alemanha, Áustria, Croácia, Dinamarca, França, Japão, Polónia e Suíça, entre outros países.

A Rainha da Noite confia uma missão ao jovem príncipe Tamino e a Papageno, o homem-passáro:libertar a princesa Pamina, raptada pelo poderoso sacerdote Sarastro. Em troca, a Rainha promete a Tamino a mão da sua filha. Tamino e Papageno recebem objectos mágicos para protecção dos perigos que vão enfrentar. Tamino recebe uma flauta mágica e Papageno um jogo de sinos. Após várias e difíceis provas, onde deve mostrar sabedoria, coragem ou força, o príncipe triunfa e encontra o seu amor. Quanto a Papageno, embora não passe na primeira prova, encontra a sua Papagena…

 

Texto de Clara Inácio
Foto gentilmente cedida pelo Gabinete de Comunicação do Teatro Nacional D. Maria II

Deixar uma resposta