Super Bock Super Rock: primeiro dia terminou ao ritmo dos anos 80

Reportagem de Elsa Furtado
Francisco Lourenço e Sara Santos (Fotos)

Animada, com boa onda e muita cerveja começou a 16ª edição do Super Bock Super Rock, na Herdade Cabeço da Flauta, no Meco, entre pinheiros e bem próximo da praia, para uma das edições mais aguardadas dos últimos anos, e que teve os Pet Shop Boys e Keane em destaque neste primeiro dia.

De volta ao formato de festival original, mas numa nova e única localização, o Super Bock Super Rock deste ano prometia muitas surpresas e grandes momentos de música, durante três dias, em que a praia, o sol e o campo complementavam a programação, repleta de grandes nomes do panorama musical internacional e assim foi.

Neste primeiro dia, o festival arrancou aos poucos, com a abertura das portas a acontecer cerca das 16h00, e os primeiros festivaleiros a chegar, de carro, camioneta ou de comboio (e depois autocarro dos TST).

O cartaz prometia, com grandes nomes e estilos diversificados distribuídos por três palcos: Palco Super Bock, Palco EDP e @ Meco – dedicado à música electrónica. No recinto as barraquinhas dos parceiros, como os Jogos Santa Casa, tentavam animar as hostes, até aos primeiros concertos.


Nas atracções, os mais arrojados tentavam a coragem e os adeptos das compras visitavam as pequenas lojas de roupa e artesanato do Equador e da Jamaica, que estavam na zona do artesanato.

Os primeiros acordes fizeram-se ouvir cerca das 18h45, no Palco EDP, com os Godmen, e o público foi-se aproximando, apenas quinze minutos depois começavam as actuações no Palco Super Bock, com Jamie Lidell, e o recinto começava a encher. Perto das 19h35 era a vez dos St. Vicent actuarem no Palco EDP e às 20h10 os Mayer Hawthrone actuavam no Palco Super Bock.

Calções, tops, lenços na cabeça e chapéus, eram peças de vestuário obrigatório, o sol ainda estava longe de se por e o calor também se fazia sentir, água ou cerveja, e alguns sumos, já circulavam abundantemente pelo recinto, tal como os brindes do Sapo ou da TMN.

À noite já o recinto estava bastante composto, cerca das 21h25 actuava no Palco Super Bock uma das bandas mais esperadas da noite, os australianos Cut Copy, pela primeira vez em terras lusas, que apresentaram o álbum In Ghost Colours, editado em 2008.

“Lisbon are you ready?” perguntou Dan Whitford, o vocalista, recebendo como resposta muitos gritos e aplausos. A banda estava animada, o público também, ao terceiro tema, o vocalista voltou a dirigir-se para o público e disse: “Esta canção surgiu hoje, são as primeiras pessoas a ouvi-la, quer dizer as primeiras no mundo”, fazendo o público delirar e dando continuidade a um concerto muito animado e energético, dando início a uma grande noite de música.


Luzes acesas, cerveja nos copos, música no ar e as migrações entre os dois palcos eram já uma constante para os festivaleiros que não queriam perder nenhuma das bandas.

Pouco passava das 22h00, quando os australianos The Temper Trap subiram ao Palco EDP, para um concerto animado, em que apresentaram temas do seu mais recente trabalho Conditions, classificado de estilo rock alternativo.

Mais ou menos à mesma hora, abria a pista do palco @ Meco, com o M-Nus Showcase, de música electrónica, que pôs toda a gente a dançar até às 4hoo da manhã.


A penúltima banda do palco Super Bock foram os ingleses Keane. Tom Chaplin dirigiu-se ao público e disse “Obrigado por nos terem aqui de volta. É um país maravilhoso Portugal”. E durante mais de uma hora de concerto interpretaram temas do seu mais recente trabalho Night Train, lançado este ano, com destaque para o single “Stop for a Minute”, mas também outros temas anteriores como “Better Than This” e “Somewhere only we know”, que fechou o concerto.

Neste primeiro dia de festival, os novaiorquinos Grizzly Bear encerraram o Palco EDP, num concerto em que interpretaram temas do álbum Veckatimest, o seu mais recente trabalho.

Não tão recentes, mas os verdadeiros reis da noite, foram os Pet Shop Boys, que encerraram em grande este primeiro dia de festival, com um grande espectáculo no Palco Super Bock, com um recinto cheio a cantar e a dançar as suas músicas.

Divertidos e animados, o duo inglês mostrou que a idade é algo que lhes passa ao lado. Com novos e actuais arranjos, os velhos sucessos dos anos 80 voltaram a ser sucessos agora no novo milénio.

“Everytime”, “Love Etc.”, “Always on My Mind”, foram alguns dos temas que marcaram a actuação do duo inglês, e que tiveram acompanhamento do público, num espectáculo marcado pelo ritmo, cor e boa disposição, marcando assim o fim deste primeiro dia, pelo menos para alguns. Para outros, a noite continuou na pista de dança, ou no parque de campismo, pegado ao recinto.

Hoje o dia continua, com um grande cartaz, em que se destacam os Vampire Weekend, Patrick Watson, ou a portuguesa dos sapatos vermelhos – Rita Red Shoes.

Veja as restantes fotos aqui:

Deixar uma resposta