Silêncio de Susan Cain na lista do Guardian’s First Book Award

O livro Silêncio – O poder dos introvertidos num mundo que não pára de falar, de Susan Cain, publicado na  Temas e Debates, está apurado para a lista de finalistas do Guardian’s First Book Award deste ano.

Pelo menos um terço das pessoas que conhecemos é introvertido. Estas pessoas são as que preferem ouvir a falar, ler a socializar; que inovam e criam, mas não gostam de se autopromover; que privilegiam o trabalho solitário às sessões de brainstorming coletivo. Embora seja habitual rotulá-los de «silenciosos», é aos introvertidos que devemos muitos dos grandes contributos para a sociedade – dos girassóis de Van Gogh à invenção do computador pessoal.

Esta investigação notável e recheada de histórias pessoais inesquecíveis demonstra até que ponto se subestima a introversão, e como essa atitude conduz ao menosprezo de enormes talentos.

Susan Cain documenta a ascensão do «Ideal do Extrovertido» no século XX e explica o alcance deste fenómeno. Questiona os valores dominantes da cultura empresarial americana, onde o hábito do trabalho em equipa pode matar a criatividade, e onde o potencial de liderança dos introvertidos costuma ser desperdiçado. E recorreu aos dados da investigação mais recente em psicologia e neurociência para revelar as diferenças surpreendentes entre extrovertidos e introvertidos.

Para que não restem dúvidas, conta-nos a história de introvertidos célebres como Lewis Carroll, Gandhi, Albert Einstein, Eleanor Roosevelt e Al Gore.

O prémio Guardian’s First Book Award foi instituído em 1999 pelo jornal britânico The Guardian para distinguir obras de estreia nas áreas da ficção e da não ficção e o vencedor será conhecido no final de novembro de 2012.

Deixar uma resposta