Seteais – O Charme De Sintra Servido à Mesa

Reportagem de Tânia Fernandes e António Silva

Nem sempre é fácil de encontrar o ambiente místico e a tranquilidade que atraiu a nobreza e elite de Portugal a Sintra, quando hoje em dia se chega à histórica vila. São muitos os visitantes que procuram descobrir os palácios requintados, as residências extravagantes e os jardins decorativos que se escondem na Serra. Em Seteais, elegante palácio construído no século XVIII, onde hoje funciona o hotel Tivoli Palácio Seteais,  é possível, mesmo no verão, viver momentos românticos e saborear o genuíno ambiente palaciano de Sintra.

Flores, frisos e grinaldas, pintadas nas paredes das salas remetem-nos para um universo de fantasia. Fazer uma refeição nestas históricas salas, ou na esplanada, com vista para os jardins, fazem com que uma refeição no Restaurante Seteais, no Tivoli Palácio de Seteais, seja uma experiência única. O chefe Miguel Silva, com mais de 20 anos de carreira, é o responsável pela atual carta que, com recurso aos melhores produtos e a técnicas apuradas, faz com que o que chega à mesa se revele inesquecível.

É possível fazer uma escolha pessoal das sugestões do chefe ou optar por uma seleção prévia de pratos combinados em menus. Estes menus de degustação são servidos para um mínimo de duas pessoas e custam 65 euros (pessoa) a seleção de quatro pratos – Seteais Flavours – ou 5 pratos – Royal Tasting – por 85 euros (pessoa).

Comecemos pelo couvert: pasta de azeite aromatizada com coco, manteiga de cabra e noz, tapenade de tomate seco, para provar com uma variedade de pães caseiros (5 euros). Seguiu-se um amouse bouche preparado pelo chefe, que muda diariamente e no nosso caso foi um Brandade de bacalhau. Excelente concentração de sabor, num aperitivo tão promissor da refeição que tínhamos pela frente. O prato apresentou-se com uma tosta e uma erva aromática a que chamam “os dedos do mar”.

A refeição foi acompanhada de vinho da região: Colares Chitas. De entrada o chefe propôs Foie gras braseado com frutos silvestres, maçã e puré de manga (16,50 euros). Uma porção generosa de foie gras, que combina a acidez e a frescura de elementos como o tomate e a maça com o quente. Seguiu-se uma outra entrada da carta que é um valente mergulho no mar: Camarão, mexilhão e lula em caldo de bulhão pato, salicórnia e tomate confitado (14,90 euros). Uma espuma de soja a envolver o prato compõe a ilusão da chegada da espuma do mar à mesa.

Ainda do mar, chegou depois uma boa dose de pregado com molho de citronela e um carolino de mexilhão e choco (a fazer lembrar o italiano risotto, mas com um toque de picante), e duas linhas de creme de curgete e cenoura (29,50 euros). Entre o mar e a terra, para limpar o palato, chegou a frescura de um gelado de champanhe com lima.

E se, por norma, em menus de degustação, o prato de carne, costuma já chegar  numa fase de menos apetite e, por isso, apreciado com menor atenção, desta vez, fomos surpreendidos com o tenro Fillet de borrego em crosta de ervas frescas (32 euros). Carne macia, sem um sabor demasiado intenso, característico deste animal, permitiu a continuidade desta degustação, sem qualquer dificuldade. A acompanhar, beringela, aipo, geleia de hortelã e duas pequenas almofadas: batatas fritas insufladas, um requinte que só encontramos na alta cozinha.


A refeição estende-se e permite-nos admirar os admiráveis arranjos de flores frescas a decorar as mesas. Tratamento principesco a quem cede à tentação de ter sangue azul… nem que seja só por uma refeição. A fechar, um doce da região, que vem com a assinatura do chefe: Pudim com maçã de Fontanelas, crumble de amêndoa e gelado de canela (11 euros). Tudo, servido com simpatia, os esclarecimentos necessários e muita discrição.

O Restaurante Seteais, no Tivoli Palácio de Seteais, serve refeições diariamente entre as 12h30 e as 15h00 e ao jantar, entre as
19h30 e as 22h00.

Deixar uma resposta