Segredo de Compostela revelado no novo romance de Alberto S. Santos

O Segredo de CompostelaQuem está sepultado no túmulo, em Santiago de Compostela? E qual o sentido atual das peregrinações? São algumas das questões levantadas em O Segredo de Compostela, o novo romance histórico de Alberto S. Santos, autor dos bestsellers A Escrava de Córdova e A Profecia de Istambul.

Nesta nova obra, Alberto S. Santos desenha um cenário de grandiosidade e nostalgia onde as personagens participam na reconstrução histórica de Santiago. Prisciliano, líder carismático do século IV e pioneiro defensor da igualdade das mulheres e dos valores do Cristianismo primitivo, é a figura preponderante neste enigma secular. Comprometido com a força da sua espiritualidade, viveu no coração os sobressaltos de um amor proibido, envolto em ciúmes e intrigas. Ainda que aclamado bispo pelo povo, Prisciliano tornou-se no primeiro mártir da sua Igreja, a quem a História ainda não prestou o devido reconhecimento.

A noite caía nas graníticas ruelas de Santiago de Compostela, quando um andrajoso peregrino, curvado sobre um bordão, seguia em direção à catedral. Era um homem sem idade, franzino, com uma verruga no queixo, e que percorrera milhares de quilómetros para chegar a tempo. A sua única companhia era um rafeiro que se lhe juntara em Bordéus.
– Vossa Excelência, acorde!
A porta do quarto do arcebispo de Compostela estremecia com a força dos nós dos dedos do ofegante cónego Labin.
Dom Miguel ressonava, cansado de três noites sem dormir. Os vagos ruídos que lhe entravam no sono soavam-lhe a vozes do Além. Atrás delas, um exército de demónios preparados para o julgar pela obsessão que lhe aguilhoava o espírito.
– Senhor Dom Miguel, responda, por favor!
Fora um homem desalentado que se deitara, logo a seguir às Completas. Rezara-as mecanicamente, sem prestar atenção ao sentido dos salmos.
A cabeça estralejava de dor. Colocara tantas esperanças na descoberta que mudaria o rumo do arcebispado compostelano, e tudo em vão! Mandara escavar no meio do deambulatório, na cripta, na entrada, na base do Pórtico da Glória e na superfície do presbitério ao lado do Evangelho, à frente do altar-mor. Apenas descobrira desânimo e desalento. Os sonhos traziam-lhe a figura de José Canosa, o deão do cabido, escarnecendo de si num julgamento presidido por um juiz sem rosto.

Alberto S. Santos é Presidente da Câmara de Penafiel e organizador do evento literário Escritaria.

O Segredo de Compostela, de  Alberto S. Santos, com 480 páginas, à venda por 17,70 euros, uma edição Porto Editora.

Texto de Sandra Mesquita

Deixar uma resposta