São Luiz apresenta Sombras da autoria de Ricardo Pais

Por ocasião da candidatura do Fado a Património Cultural Imaterial da Humanidade, o Teatro Municipal São Luiz, em Lisboa apresenta na Sala Principal o espectáculo Sombras – a Nossa Tristeza é Uma Imensa Alegria, da autoria de Ricardo pais, nos dias 28 a 30 Janeiro, pelas 21h00 e no dia 30 às 17h00.

“Sombras constrói-se numa espécie de paisagem cénica insólita, cheia de eventos inesperados e contrastantes. É um espectáculo multidisciplinar, decididamente contra os tiques da fusão ou da world music. Tem no Fado o seu coração sofrido e no Fandango uma espécie de cavalgada eufórica.”, descreve o encenador Ricardo Pais, que regressa com este espectáculo à encenação, e também ao modo de ser português, a Alexandre O’Neil, a António Ferreira, a Almeida Garret, a Fernando Pessoa e a Mário Laginha.

A interpretação conta com os fadistas José Manuel Barreto, Raquel Tavares, com os actores Emília Silvestre, Pedro Almendra, Pedro Frias, com os bailarinos Carla Ribeiro, Francisco Rousseau, Mário Franco, com os músicos Mário Laginha (piano), Carlos Piçarra Alves (clarinete), Mário Franco (contrabaixo) Miguel Amaral (guitarra portuguesa) e Paulo Faria de Carvalho (viola de fado). Albano Jerónimo, António Durães, João Reis e Teresa Madruga fazem uma colaboração especial em vídeo.

Os vídeos são de Fábio Iaquone e Luca Attilii, a música original e direcção musical é de Mário Laginha, a coreografia é de Paulo Ribeiro, a cenografia é de Nuno Lacerda Lopes, os figurinos de Bernardo Monteiro, o desenho de luz de Rui Simão, o desenho de som de Francisco Leal, a voz e locução de João Henriques, o consultor musical (fados) é Diogo Clemente, o guião e encenação de Ricardo Pais e a assistência de encenação é de Manuel Tur.

A Produção é do Teatro Nacional São João e como Co-produtores o Centro Cultural de Vila Flor (Guimarães), o Teatro Viriato (Viseu) e o São Luiz Teatro Municipal (Lisboa), com a colaboração OPART.

Este espectáculo tem ainda apresentação marcada para São Paulo, Santos e Belo Horizonte, em Junho de 2011 e no Théâtre de la Ville, em Paris, em 11 e 12 Abril de 2011.

Texto de Clara Inácio
Foto da Produção

Deixar uma resposta