S. Luiz aposta em Lobo Antunes e Quixote para a próxima temporada

A obra de António Lobo Antunes, Dom Quixote de La Mancha e concertos de diversos estilos musicais são alguns dos pilares da programação do Teatro Municipal São Luiz, para a próxima temporada, que pretende ir de encontro ao seu papel de teatro municipal da capital e de cariz popular.“Na programação de 2011/2012 esperamos cumprir esta missão, esperamos ser teatro para os cidadãos da cidade. Temos a convição que as artes do palco, são lugares de excelência para o ensaio das novas formas de ser do indivíduo. Ser um teatro popular, porque investe nas formas de acesso à arte de performance “contemporânea”, como lugar de prazer inteligente. Popular, porque pretende reconhecer os ritmos da cidade, integrando as suas festas, com alguns contrapontos, inversões de marcha”, afirmou aquando a apresentação à imprensa o seu novo Director Artístico José Luís Ferreira, escolhido por concurso público para o cargo.

A programação começa com Deste Viver – Aqui Neste Palco Escrito, de António Lobo Antues, numa produção do teatro, em colaboração com as Publicações Dom Quixote, com Maria de Medeiros, Solveig Nordlund e José Neves, de 15 a 18 Setembro.
Simultaneamente, Que Cavalos São Aqueles Que Fazem Sombra No Mar?, um espetáculo de Maria de Medeiros, a 15 e 16 de Setembro, às 21h00, na Sala Principal, com Maria de Medeiros, com o cavaleiro de equitação à portuguesa, Gonçalo Távora Correia (de referir que este espectáculo estreou há algumas semanas num festival de Paris).

A obra do escritor continua a ser homenageada com Cartas De Guerra, uma leitura posta em som por José Neves, a 16 e 17 Setembro, às 18h30, no Jardim de Inverno. Facts And Fictions of António Lobo Antunes, lançamento e conversa sobre autor e obra, a 17 de Setembro, às 15h00, na Sala Principal.
A antestreia de A Morte De Carlos Gardel, um filme de Solveig Nordlund, encerra o ciclo dedicado ao escritor, a 17 de Setembro, às 21h00. Após a apresentação do filme está programada uma “conversa” com o realizador, Luís Galvão Teles e alguns convidados.

Ler Dom Quixote é um projecto de Álvaro Garcia de Zuñiga e Teresa Albuquerque, com leituras programadas para nos meses de setembro, outubro, novembro e dezembro. Dom Quixote de Miguel de Cervantes tem 126 capítulos, com a leitura de um ou dois capítulos por sessão, é só fazer as contas, para perceber que este é um projecto de continuidade, que se estende para além desta temporada. Às 21h00, no Jardim de Inverno, Palco, Sub-palco e Sala de ensaios. “Programar a leitura integral do Dom Quixote de la Mancha é, evidentemente, quixotesco. Por isso mesmo, nada poderia fazer mais sentido” diz o autor do projecto. Já estão assegurados dois leitores, José Luís Ferreira e Alínea Berlitz Iissilva.

A programação continua com Saturday Night, de Matthew Lenton, com a Companhia Teatral Europeia, de 22 a 25 de setembro, às 21h00 e domingo às 17h30, na Sala Principal. O São Luiz associa-se ao projecto da Companhia Teatral Europeia, em que atores provenientes de diversos países europeus criam espectáculos a que acrescentam algo de importante. Em parceria com o Teatro Nacional de S. João e o Centro Cultural Vila Flor.

Segue-se o visionamento de Jorge Salavisa – Keep Going, um documentário de Marco Martins, 26 de setembro, às 21h00, na Sala Principal.
O São Luiz também participa nas comemorações do Dia Mundial da Música com o Lx Ensemble – À Volta Do Dia Mundial Da Música, 30 de Setembro a 2 de Outubro, na Sala Principal e Jardim de Inverno. Orquestras vão andar andar pela cidade, ocupam as praças e outros lugares públicos; L.U.M.E.( Lisbon Underground Music Ensemble), 30 de Setembro, às 21h00, na Sala Principal. Projecto liderado pelo compositor Marco Barroso, reconstrói de forma original a herança das Big Bands. Passam pelo jazz, pelo rock, pela música contemporânea e experimental, partem da composição escrita, mas com espaço para a improvisação.

Os Corações de Atúm, no dia 30 de Setembro, às 23h30, apresentam no Jardim de Inverno quatro músicos de excepção, do jazz, acompanhados de um crooner romântico. As comemorações continuam com o Concerto dos Laureados nas áreas de canto e guitarra, Prémio Jovens Músicos 2009/2010, às 17h30, no Jardim de Inverno. Outra iniciativa é a Música Nas Praças, um programa da responsabilidade da EGEAC para o Dia Mundial da Música, em local e horário a definer e a Orchestrutopica, Videovilância, às 21h00, na Sala Principal.

Os músicos da Orquestra Todos tocam em lugares improváveis e oferecem uma experiência íntima – Concertos Íntimos, 2 de Outubro, às 14h30, depois a 7, 8 e 15 de outubro, chegam-nos Músicas Novas, na Sala Principal e Jardim de Inverno.

Segue-se o Circuito Iindie em outubro com a apresentação De You Can’t Win, Charlie Brown, We Trust e Mursego, Noiserv e Maïa Vidal, na Sala Principal e no Jardim de Inverno. Depois é a vez de Avenida Paulista com Tulipa Ruiz e Thiago Pethit e Mariana Aydar, às 23h30, no Jardim de Inverno e Raf Vilar, às 21h00, na Sala Principal.

O teatro regressa com A Febre, De Wallace Shawn, pelo Teatro Oficina, de 19 a 21 outubro, e de 20 a 22 de outubro, ELLA, de Herbert Achternbusch, pelo Teatro Da Rainha, na Sala Principal. Segue-se Ping, de Samuel Beckett, de 3 a 5 de novembro, às 23h30, no Jardim de Inverno, entre outros, a terminar este ciclo Metastasipolis, pelo Grupo de Teatro Terapêutico, a 17 e 18 de dezembro.
O teatro recebe ainda outras iniciativas, como o Festival Temps D’Images, de 28 de outubro a 5 de novembro, a Voz Humana de Jean Cocteau, de 28 a 30 outubro, Soundwalkers (documentário de Raquel Castro) de 28 a 30 de outubro, Clube da Palavra, a 12 de novembro, José Luís Greco – Mostra Espanha 2011, a 22 novembro, Festival Lisboa Mistura, 25 a 27 novembro, e encerra em dezembro com o fim da crise – Desconferências do São Luiz, com três temas: o Dinheiro, o Amor e a Política para fazer o balanço de 2011 e sondar quais as perspectivas para 2012.

Por Clara Inácio
Fotos de Elsa Furtado

Deixar uma resposta