Rota das Amendoeiras da CP arranca no sábado

Março é o mês das amendoeiras na região de Trás-os-Montes e Alto Douro, árvores floridas e um vasto manto branco e rosa pelos campos, são algumas das características desta paisagem, que a CP convida a conhecer ou rever com a “Rota das Amendoeiras”, numa tradição que já tem mais de 20 anos, e vai decorrer este ano de 6 a 27 de Março.

O programa de visita às Amendoeiras em Flor vai decorrer todos os sábados do mês, com partida do comboio às 7h40 da estação do Porto – Campanhã, em direcção à estação ao Tua, onde está prevista a chegada às 10h23, aqui os participantes prosseguem a viagem de camioneta, com guia, por uma das duas rotas possíveis.

Na estação do Tua, os viajantes poderão optar por dois circuitos em autocarro. A Rota A, com paragem em Torre de Moncorvo (região rica em azeite, amêndoa, alheiras, mel e queijos de ovelha), Freixo de Espada à Cinta, onde está prevista uma pausa para almoço, Penedo Durão (um miradouro natural, onde o olhar se perde entre a barragem de Saucelle e os penhascos que ladeiam os dois lados da fronteira. Daqui, uma imagem da Senhora do Douro vigia os barcos que navegam o Douro e os seus afluentes); Barca de Alva, Castelo Rodrigo (com uma visita ao castelo, e prova de compotas e licores locais, com destaque para o serrano); e Vila Nova de Foz Côa.

Em alternativa, a Rota C passa por Alfândega da Fé, com paragem para almoço, Cerejais, Mogadouro, e Torre de Moncorvo. Também aqui as amendoeiras marcam presença, no meio de um território famoso pela sua pedra, queijos, têxteis e património arquitectónico, sempre com o colorido das amendoeiras por companhia ao longo do percurso.

O regresso está marcado para as 20h30, com chegada a Porto Campanhã às 22h59, mas atrasos são sempre possíveis.

Os bilhetes para estes percursos combinados (comboio e camioneta) encontram-se à venda nas bilheteiras e no site da CP e custam 33 euros por adulto e 23 euros por criança (dos 4 aos 12 anos), as refeições não estão incluídos, mas recomenda-se a reserva prévia de um restaurante no local ou levar farnel.

Texto de Elsa Furtado
Fotos de Francisco Lourenço

Deixar uma resposta