Rodrigo Leão reinventou melodias no CCB

Reportagem de Tânia Fernandes

04-rleao04Casa cheia para ouvir um dos mais geniais compositores nacionais.Rodrigo Leão apresentou, na passada sexta-feira, o seu recente álbum Songs (2004-2012).Os temas que constituem o corpo da sua carreira ganharam novos arranjos, a pareceram agradar a legião de admiradores que encheu o Grande Auditório do CCB em noite de temporal.

A primeira parte ficou a cargo dos “Poetas”, projeto no qual o próprio músico também participa. A palavra é aqui a causa que une estes músicos e foi sobre poemas, na sua maioria, de Mário Cesariny que se construiram os sons iniciais da noite. A voz do ator Miguel Borges sobrepos-se aos instrumentos que o acompanharam e a performance dominou o momento.

Guardadas as estrofes e após um intervalo, Rodrigo Leão voltou com as suas partituras. A entrada fez-se com sabor a maresia da Ericeira com “A Praia do Norte” e durante largos minutos os temas foram puramente instrumentais. As melodias reinventadas recolhem aplausos, numa coreografia de sons a cargo de Celina Piedade no acordeão, Viviena Tupikova e Sandra Martins no violino, Carlos Gomes no violoncelo, dirigidos pelo maestro Leão no orgão. Ao poucos foram sendo introduzidos sons mais eletricos, conduzindo os músicos por uma banda sonora de ambientes diferentes, mas complementares. “Tardes de Bolonha”, Tango dos Malandros”, “Mar Estranho”, “O Baloiço” e “A Revolta” foram alguns dos temas tocados.

E porque os concertos de Rodrigo Leão são também feitos de convidados, a primeira surpresa da noite foi a participação de Elisa Rodrigues, que se estreou em palco com estes músicos para dar voz a “The Long Run” e “Lonely Carousel”. Substituiu as vozes de Joan As Police Woman e Beth Gibbons, recriado uma nova sonoridade, nada aquem das versões gravadas.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Seguiu-se Gomo, que interpretou convicto “Cathy”, dedicado a todas as mulheres, numa alusão à data do concerto.
Scott Matthew foi o outro convidado da noite. “Veio diretamente de Nova Iorque para estar connosco aqui hoje” anunciou Rodrigo Leão. Scott foi buscar “In The End” ao reportório e com a simpatia e agradável postura em palco conquistou facilmente o público.
Num primeiro encore o fado “Alfama” dos Madredeus fez-se ouvir pela voz de Celina Piedade, a acordeonista que tem feito carreira ao lado de Rodrigo Leão. “Pasion”, cantado com a ajuda do público parecia ser a despedida. Mas o público não deixou. Novo encore e desta vez quem toma conta do palco é Scott Matthew. Comunicativo e visivelmente emocionado com a calorosa receção do público portugues canta “Smile”, em versão acústica, um original de Charlie Chaplin. Com pouca vontade de abandonar aquela plateia ainda apresenta “Enemies”, um tema inédito composto em conjunto com Rodrigo Leão “dias antes de vir para Portugal”.
Duas horas de concerto deixaram os presentes satisfeitos que se manifestaram, no final, com aplausos e assobios. Rodrigo Leão pode continuar a banda sonora, convidar mais músicos, que o número de seguidores não parece dar sinais de abrandar.

Deixar uma resposta