Ria de Aveiro é palco do 1º Festival Ciclável

No próximo fim-de-semana, de 1 a 3 de Julho realiza-se o Primeiro Festival Ciclável da Ria de Aveiro. Cicloria é por definição o “Encontro com o território, as gentes e a cultura através da bicicleta” segundo a organização. O festival estende-se por Estarreja, Murtosa e Ovar. A Ria de Aveiro é conhecida como a Veneza Portuguesa, onde os moliceiros típicos dão um colorido e um charme inesquecível.

Como cabeças de cartazes do festival vão estar os Aeolian Ride e Puncture Kit. Aeolian Ride é um evento de arte pública que envolve 52 pessoas com fatos que se insuflam com o vento, e o concerto de música electrónica Puncture Kit, em que uma bicicleta serve de meio transporte e de bateria.

O festival vai ter concertos, performance Semeadores, Bikesprints, Bikesoundsystem, corrida Alleycat, tasquinhas gastronómicas, espectáculos de rua (Pierrots e Miss Easy – Matraphonia Total), visita a estaleiros de construção de embarcações artesanais, caça ao tesouro, passeios de charrete, jogos tradicionais e como não podia deixar de ser, passeios em bicicleta são algumas das sugestões. Vá e disfrute das duas rodas, com o vento a bater na cara!

A Rede de Vias Cicláveis que liga os três concelhos ainda está em construção, devendo estar concluída em 2013, com cerca de 175 Km de extensão (32 dos quais na zona litoral, junto às praias).
Para informações detalhadas da programação e percursos visite o site da iniciativa.

Sobre a Ria de Aveiro
A Ria de Aveiro estende-se, pelo interior, paralelamente ao mar, numa distância de 47 km e com uma largura máxima de 11 km, no sentido Este-Oeste, desde Ovar até Mira.

A Ria é o resultado do recuo do mar, a partir do séc. XVI formaram uma laguna. Abrange cerca de 11 mil hectares, dos quais 6 mil estão permanentemente alagados, desdobra-se em quatro importantes canais ramificados em esteiros que circundam um sem número de ilhas e ilhotes. Nela desaguam os rios Vouga, Antuã e Boco, tendo como única comunicação com o mar um canal que corta o cordão litoral entre a Barra e S. Jacinto, permitindo o acesso ao Porto de Aveiro.

Por Clara Inácio

Deixar uma resposta