Primeiro seduzem o olhar, depois conquistam pelo aroma. Na boca revelam surpresas mas é ao chegar às papilas gustativas que nos arrebatam o coração. A nova carta do Restaurante Flores do Bairro é uma verdadeira viagem sensorial. Assinada pelo novo Chefe Bruno Rocha, começou a ser servida no final da semana passada.

As grandes janelas da sala no rés-do-chão do Bairro Alto Hotel deixam-nos à vista a traça arquitectónica do coração de Lisboa. A decoração alegre e o ambiente tranquilo contrastam com a azáfama da rua. Bruno Rocha é o nosso anfitrião. Apresenta-nos uma carta feita com produtos nacionais, ancorada em receitas portuguesas, mas transformada pela técnica francesa e com grande influência de gastronomias de outras latitudes. Ou como o próprio descreve com “os pés em Portugal e a cabeça no mundo”.

Sentamo-nos à mesa e começamos a descobrir surpresas naquela fase que costuma ser óbvia em todos os restaurantes. Há pão de centeio e limão, pão de trigo e baguete rústica. As bolinhas de amarelo esbranquiçado no prato são uma deliciosa manteiga de ovelha e há também um dip de tremoço com coentros e um toque de picante.

Para abrir as hostilidade, vem um Tártaro de Tomate e Orégãos.  Este prato é, para  Bruno Rocha, uma picardia à cidade de Lisboa. Há tantos tártaros por aí, porque é que ninguém faz um tártaro vegetal? Feito com os nossos tomates tão saborosos. Uma entrada de grande frescura, a chamar o verão, servida em taça Bordallo Pinheiro, a acentuar o contraste de tonalidades. Acompanha um espumante Soalheiro Alvarinho.

O prato de peixe deixa-nos de olhos fixos. É pregado coberto de uma finíssima fatia de pata negra, com molho da fragateira. Para a confecção do caldo, foram utilizadas cabeças de carabineiro, como nos explica o chefe. E vamos empurrando o Xerém, papa feita de farinha de milho, para este sabor do mar onde tanto gostamos de mergulhar. A inspiração vem do Algarve e cabe nele as verduras salicórnia e rebentos de ervilha.

À nova carta foram ainda acrescentados os pratos de Atum Metido Numa Cebolada e Batata-doce e Polvo Assim e Assado, Migas de Couve e Feijão-Frade.

Flores do BairroDa terra, Bruno Rocha chama o Lombo de Vitela Assado Sem Demoras, Esparregado de Acelgas e Touriga Nacional. Carne nacional, com um  acompanhamento perfeito de batatas soufflé. Neste prato, o Chefe faz referência às suas origens, Viseu.

Deixa ainda outras propostas como o famoso Bife do Lombo à Marrare ou as sugestivas propostas O Frango e a Cupita Alentejana, Esmagada de Batata e Vinagrete de Espargos e Cachaço de Porco, Funcho, os Couratos da Bola Crocantes e Molho de Cidra.

Pelo meio, nova carta tem um conjunto de soluções que “não são carne nem peixe” como o Carolino de Ervilhas, Queijo da Ilha e Pepino de Coentrada, Boulgur de Feijão Soja e Molho de Caril Masala” e Fricassé de Legumes, Verduras e Agrumes.

A casa chama-lhe pecado e nós gostávamos de aqui morar, pois é uma saborosa tentação: Creme de Arroz doce e citrinos, gelado de bolacha maria” que acompanhou com um Moscatel. Muito curiosa a ligação do doce aos citrinos com um twist intrigante no pó de iogurte que encontramos numa das margens do gelado, já em leite.

Fechamos com um café e mais três agradáveis curiosidades: Telha de Sésamo e Papoila, Trufas de Ginja d’Óbidos e Gomas de Framboesa e Tabasco.

O restaurante Flores do Bairro encontra-se a funcionar no Bairro Alto Hotel, na Praça Luis de Camões (ao Chiado),  em Lisboa. Abre diariamente das 13h00 às 15h00 e das 19h30 às 23h00. Tem capacidade para 40 pessoas e dispõe de estacionamento e serviço de valet parking gratuito ao almoço e jantar. O preço médio por refeição é de 32 euros.

Reportagem de Tânia Fernandes

Deixar uma resposta